NOTÍCIAS

Balcãs, café e Jesus

July 23, 2019

Por Andrew Lucas

Colaboração de Gisele Pereira

 

"Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque andavam desgarradas e errantes, como ovelhas que não têm pastor."

- MATEUS 9:36 -

 

O Brasil é conhecido pela diversidade cultural e por abrigar em seu território, variadas e distintas etnias mundiais. Se você for do norte ao sul do país vai perceber a influência de Portugal, Itália, Alemanha, Holanda, Israel, Japão, entre outros, além de variações linguísticas e religiosas. Na região dos Bálcãs, não é diferente.

 

 

ONDE ESTÁ LOCALIZADO?

 

Localizado no sudeste europeu, Bálcãs, ou Península Balcânica, é o nome histórico de uma região geográfica que abrange os territórios da Albânia, Bósnia, Bulgária, Grécia, Macedônia, Montenegro, Sérvia, Croácia e a parte européia da Turquia. O termo deriva de uma palavra turca que significa “montanha”, e faz referência à cordilheira dos “Bál-cãs”, que corta a região.

 

Todos esses países pertenciam à antiga Iugoslávia que se dissolveu por meio de guerras e conflitos desde o fim da Primeira Guerra Mundial até 2006 onde ocorreu a última fragmentação com a independência de Montenegro. Ainda existem pontos de luta por separação e independência, como no caso de Kosovo, região que busca reconhecimento como Estado-Nação, desvinculando-se da Sérvia.

 

 

O PORQUÊ DOS CONFLITOS

 

Bálcãs é uma região extremamente estratégica. É um ponto de ligação entre o mundo oriental e ocidental e por essa vantagem logística sofreu ocupação de diversos impérios na Idade Média e foi palco de muitos confrontos mundiais em épocas de guerra do Mundo Moderno. A região já foi ocupada por Persas, Gregos, Bizantinos, Otomanos, Germânicos, Russos, Italianos, entre outros. Todo povo que passou pela região deixou marcas da sua cultura que hoje compõem os costumes e a mentalidade das Repúblicas que ali se formaram.

 

- “Estive na Bósnia Herzegovina por 10 anos. Cheguei 5 anos depois do final da guerra. Me senti assustada com a destruição do país e ainda tinha muitos militares e o aparato militar nas ruas, nunca tinha visto um tanque de guerra e coisas parecidas isso me assustou um pouco.”

 

Os resquícios da guerra ainda são presentes nas ruas, como comprova este relato de uma missionária brasileira que morou na Bósnia. Essa região é a menos desenvolvida da Europa, as taxas de desemprego são muito altas e muitos jovens precisam migrar para outros países em busca de melhores oportunidades.

Além de motivos políticos e econômicos, a religião também é outro fator de militância. A supremacia religiosa sempre foi disputada na região, principalmente por Católicos Romanos, Ortodoxos Orientais e Muçulmanos. Os últimos dados revelam o número de cristãos estimado em cada região:

  • 8.000 cristãos na Albania;

  • 3.000 cristãos no norte da Macedônia;

  • 3.000 cristãos no sul da Servia;

  • 3.000 cristãos em Kosovo;

  • 800 cristãos na Bósnia Herzegovina;

  • 400 cristãos em Montenegro.

No total: 18.200 cristãos para uma população de 44 milhões e 622 mil pessoas (somando estimativas de todos os países da região). Pesquisas vão afirmar que a religião predominante é o islamismo seguido pelo cristianismo, mas é bom lembrar que os cristãos ortodoxos orientais possuem uma doutrina diferente da defendida pelo cristianismo protestante a respeito da pessoa de Jesus, e esse é um dos pontos que torna os Bálcãs uma grande seara.

 

 

POR QUE FAZER MISSÕES NOS BÁLCÃS?

 

Na referência de Mateus 9:36, citada acima, Jesus se compadece de uma multidão errante, como se fossem ovelhas sem pastor. Ao analisarmos a região da península balcânica podemos ter a mesma impressão que Jesus teve nesse acontecimento. Um povo que é gerado em meio à guerra, uma miscelânea cultural, trocas constantes de governo e modelos políticos, disputas econômicas, abusos de autoridade e grandes potências que visavam apenas proveito próprio, conceitos religiosos variados e confusos, pobreza, luto, e o medo de conflitos sempre iminentes. Imagine como deve ser crescer em meio a este contexto. Termos como “albaneses da Macedônia”, “albanesa do Kosovo”, “bósnio-croata”, “bósnio de etnia sérvia”… O local de nascimento não parece ser o fator mais importante para definir a nacionalidade de um cidadão dos Bálcãs. Confusão de identidades, sentimento de não saber a quem se pertence.

 

Tudo que este povo precisa está em Cristo: paz, segurança, esperança, identidade, futuro, um lugar para pertencer, uma origem. Gisele fez missões nos Bálcãs e compartilhou uma experiência que viveu:

 

-... “quando eu fui embora pela primeira vez, havia ficado por 2 anos, e viria ao Brasil sem saber se daria para retornar. Uma senhora muçulmana que eu tinha uma boa amizade e sabia que eu era cristã, me disse: por favor volte para cá, ou mande seus amigos virem para cá, nós precisamos dessa mesma alegria que você tem dentro de si...”

 

Na continuação do texto de Mateus Jesus pede aos discípulos que roguem ao Senhor da seara para que mande mais trabalhadores. Mais de dois mil anos o clamor continua o mesmo, agora reforçado por esta muçulmana. Essa senhora representa o apelo dos Bálcãs à Igreja do Senhor Jesus: - “Voltem, por favor! Venham nos apresentar essa vida que vocês receberam em Cristo!”. Gisele relata ainda outra situação:

 

-“Também um outra vez dei a ela um Bíblia, a princípio fiquei meio sem saber qual seria a reação dela ao receber a Bíblia e ela ficou muito feliz dizendo que queria muito um livro daquele mas não sabia aonde encontrar”.

Assim como ela, muitos outros devem estar sem saber onde encontrar as verdades deste Livro. Você pode ajudar!

 

 

CAFÉ COM BÁLCÃS E JESUS

 

Gisele fez missões na região dos Bálcãs por dez anos e compartilhou conosco fatos e dicas importantes para quem sente um chamado para este povo:

Se você é um trabalhador e está disposto a ser enviado pelo dono da seara, aqui seguem algumas dicas de quem já esteve por lá:

  • Primeiro momento focar toda a sua atenção na aprendizagem da língua e cultura. Quanto mais o missionário tiver conhecimento da cultura mais ele terá abertura para compartilhar o evangelho. Seja humilde, entenda que é você que precisa se adaptar a cultura deles e não eles se adaptarem a sua. Seja um observador, esteja aberto ao novo, saiba fazer diferença entre o que é cultural e o que é princípio de Deus, o que é apenas cultura pode ser mudado, por exemplo: comer com a mão, não está escrito na Bíblia que o jeito certo é comer com garfo e faca. Contudo, não matarás é um princípio que não pode ser mudado aonde quer que você esteja. Cuidado para não julgar, é comum o missionário no primeiro momento fazer comparações com sua cultura materna e julgar a cultura receptora, isso pode fechar portas.

  • Eles são muito receptivos, amigáveis e gostam de gastar tempo junto conversando e tomando café (esse é o ponto alto da cultura, CAFÉ) visto que muitos estão desempregados eles gastam muito tempo nos “cafés” conversando. Então nosso trabalho consistia muito em encontrar pessoas para um bom papo num café. Eles tem muita curiosidade sobre o Brasil e essa é uma boa abertura para um bom papo e depois entrarmos com coisas espirituais. Eles também tem muita curiosidade sobre o cristianismo”.

  • Eu não tinha nenhum país específico para ir, então recebemos um mobilizador da nossa organização dessa região que desafiou alguns brasileiros a formarem uma equipe e ir para lá alegando que nossas culturas tem muita similaridade e que possivelmente não enfrentaríamos tanto choque cultural sendo mais fácil o evangelismo. E realmente para mim neste quesito de choque cultural não tive tantos problemas e realmente os Bósnios nos viam muito mais parecidos com eles do que qualquer outra cultura. Geograficamente estamos tão longe, mas culturalmente estamos muito perto. Assim como nós eles são uma cultura de relacionamentos.

 

 

APRESENTE O PASTOR ÀS OVELHAS

 

Mateus 9:36 ainda acontece nos dias de hoje em diversas culturas que ainda não aprenderam sobre o que Jesus fez pela humanidade. Se você segue ao Bom Pastor, é sua responsabilidade anunciá-lo ao restante do rebanho. Ore pelos Bálcãs, envie recursos aos missionários que estão desbravando aquela terra, vá! Você pode fazer algo!

 

A seara é grande e o Dono dela está chamando você!

 

Fontes:

https://www.mundovestibular.com.br

https://brainly.com.br

https://educacao.uol.com.br

https://www.google.com.br/url?

https://m.guerras.brasilescola.uol.com.br

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

December 14, 2019