NOTÍCIAS

Compartilhando histórias nas aulas de inglês

January 7, 2019

Por Nicole James

Tradução de João Marcos Hansen

 

Meg*, uma trabalhadora de longo prazo da OM, tem ensinado na África do Norte por mais de 20 anos. Inicialmente ela ensinava em grandes escolas com salas de aulas e currículos estritamente supervisionados. Mais tarde, ela desenvolveu um negócio freelance para que pudesse lidar com suas próprias aulas e contatos.

 

No outono de 2014, Meg participou do curso de contadores de histórias da OM, buscando meios para incorporar histórias no seu ensino. “Eu não sou uma evangelista, mas alguém que compartilha sua vida com as pessoas e compartilha o que Deus está fazendo, mas mesmo nisso eu senti que precisava ser mais direta,” Meg descreveu.

 

Enquanto ela via seus colegas incorporar histórias intencionais em seu próprio testemunho ao povo local, Meg se perguntava se deveria fazer o mesmo. “Se você tem uma história que aprendeu bem, terá a oportunidade de compartilhá-la. Está preparado, você tem ela ali, é intencional,” ela explicou.

 

“Eu costumava passar bastante tempo fazendo a preparação para as minhas classes e concentrava muito nas aulas e em estar pronta. E eu não estava esperando suficiente em Deus e perguntando sempre a Ele especificamente o que eu deveria fazer neste dia em particular, ou pedindo a Ele por direção ou força para uma situação particular,” Meg disse.

 

Nos últimos anos, Meg decidiu passar mais tempo “buscando a Deus para uma nova temporada” através de oração e de passar tempo na presença de Deus. “Acho que é por isso que coisas novas como contar histórias pode ser significativo, porque estou buscando novas maneiras de conhecer pessoas. Eu sou bem aberta a coisas novas que Deus fará em minha vida,” ela enfatizou.

 

Vários meses depois de completar o curso de histórias, Meg decidiu implementá-lo em suas duas classes principais, um grupo no horário de almoço e outro grupo de conversação numa empresa local. “Com o tempo, eu descobri que se escolhesse um tópico baseado em valores, poderíamos ter uma boa conversa,” ela disse. Por exemplo, durante uma classe sobre coragem, Meg perguntou aos alunos o que eles fizeram de mais corajoso em suas vidas. Um dos estudantes falou sobre ajudar sua família durante a doença terminal de seu pai. “Ela chorou na sala enquanto compartilhava essa história,” Meg relembrou. Outro estudante também recontou em lágrimas a sua experiência ajudando sua mãe através de uma doença de longo prazo. “Todos estavam tocados e abertos uns aos outros naquele momento,” descreveu Meg.

 

Quando a discussão passou para compaixão, Meg apresentou a história do bom Samaritano. “É bem interessante porque todos falavam francês e já tinham ouvido ela como uma expressão, mas não sabiam a origem da frase,” Meg notou. “Eu disse, ‘Isso é da bíblia,’ e contei a história para eles.”

 

Depois disso, Meg fez a transição para o tópico de misericórdia. Ela contou uma história sobre um rei rico que descobriu que objetos valiosos estavam sumindo do seu palácio. Ele decretou que quando o ladrão fosse encontrado, ele ou ela deveria receber uma punição de 40 chicotadas. Eventualmente a guarda do rei encontrou o ladrão - a mãe do rei. Apesar do rei ter que dar prosseguimento à punição, na manhã das chicotadas ele ficou atrás de sua mãe, levando os golpes.

 

“Essa é a história sobre o relacionamento de Deus conosco, a misericórdia de Deus para nós,” Meg explicou para a sua classe. “Como cristãos, cremos que essa misericórdia é demonstrada através da morte de Jesus Cristo pelos nossos pecados na cruz.”

 

“Esta é uma história muito boa para ensinar princípios para nossos filhos,” uma das mulheres disse.

 

“Por que você não reconta a história agora?” Meg convidou.

 

A mulher começou a recontar a história, mas perto do fim, outra mulher entrou na sala. Percebendo como a recém-chegada estava tocada pela pequena porção da história que tinha ouvido, Meg pediu à estudante que contasse a história de novo com todos os detalhes.

 

Desde as tentativas iniciais de Meg de contar histórias nas aulas foram bem-sucedidas, ela decidiu usar as lições em outras aulas e criar novos currículos baseados em valores com histórias suplementares. Ela também disse que está pronta para compartilhar histórias com mulheres em ambas as suas classes e em outros momentos quando se encontrarem.

 

“Se não nos encontramos na aula, nos encontramos pela amizade. O Senhor tem me dado um relacionamento muito bom com essas mulheres,” ela explicou.

 

Ore para que os relacionamentos de Meg com as mulheres em suas classes atuais continuem, bem como uma ou duas amizades de uma aula já encerrada. “Eu quero poder semear em suas vidas através das histórias mais diretamente,” ela disse. “Talvez quando eu não for mais professora, ainda possa fazer isso efetivamente como amiga.”

 

*Nomes alterados por segurança.

 

Nicole James é uma escritora internacional pela OM, apaixonada por publicar histórias do trabalho de Deus entre as nações e contando às pessoas sobre as coisas maravilhosas que Ele tem feito ao redor do mundo.

 

Texto original

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

October 30, 2019