NOTÍCIAS

Libertando os Dalits

December 13, 2018

Por Janet Weber

Tradução de Rodrigo Mendes

Revisão de João Marcos Hansen

 

Em 1963, a primeira equipe da OM viajou por terra indo da Europa para a Índia, compartilhando as boas novas ao longo do caminho. Pelos próximos 30 anos, as equipes da OM, por meio de testemunhos pessoais, distribuição de literatura e cursos por correspondência, refletiriam o amor de Deus em toda a Índia.

 

Em 1988, tornou-se evidente para a liderança indiana que já não bastava abordar o estado espiritual de um indivíduo à parte de seu estado físico, econômico, social, político e cultural. A OM precisava atender às centenas de milhões de pobres e marginalizados do país, especificamente a casta mais baixa da sociedade indiana: o povo Dalit-Bahujan, ou "intocáveis".

 

“O clamor dos Dalits e de outras pessoas pobres e marginalizadas da Índia é pela liberdade”, disse Joseph D'souza, Bispo Moderador da Igreja O Bom Pastor na Índia. Este apelo sério é um apelo por mudanças sociais, morais e espirituais massivas. É um chamado para livrar seu mundo da opressão da ideologia de castas. É uma exigência de dignidade humana simples em resposta às atuais realidades da escravidão moderna, à opressão das mulheres, à discriminação econômica e à pobreza desenfreada.”

 

Em 2001, em parceria com outros ministérios, o OM Bom Pastor tomou medidas para fazer mudanças nas comunidades através de clínicas médicas, escolas primárias em inglês, alfabetização de adultos, formação profissional e empresarial e mais, com o objetivo de aliviar a pobreza entre o povo Dalits. Tudo foi feito em nome de Cristo e novas comunidades cristãs se reproduziram rapidamente.

 

 

A educação é fundamental

 

Era óbvio desde o início que a educação para as crianças dalits era a chave para quebrar o ciclo de pobreza e opressão que impedia que todo um grupo de pessoas subisse acima do nível mais baixo da sociedade indiana. As Escolas Bom Pastor são dirigidas por crentes, os estudantes são naturais do povo dalits e as aulas são ministradas em inglês.

 

Ruth está no quarto ano de uma escola Bom Pastor. Embora a bigamia seja ilegal na Índia, Ruth e sua família sofreram com as más escolhas conjugais de seu pai. Pobreza e analfabetismo só pioraram a situação para Ruth, sua mãe e seus dois irmãos. Quando o pai de Ruth finalmente os abandonou há alguns anos, isso os deixou desamparados apesar de sua mãe ganhar uma pequena renda como empregada doméstica nas casas dos vizinhos.

Recentemente diagnosticada com tuberculose, Ruth está recebendo medicação gratuita - através de hospitais do governo - e está se recuperando. Ela é uma boa aluna e, através da educação, ela e sua mãe têm esperança em um futuro outrora inimaginável.

 

Hoje, mais de 90% dos graduados da Good Shepherd Schools fazem cursos profissionais ou universitários. Mais de 100 escolas ensinam cerca de 26.000 alunos, todos com raízes Dalit.

 

"É verdadeiramente através de Deus que pudemos libertar muitas crianças e o impacto que isso teve nas comunidades em todo o país é incrível", disse D´Souza. “O grande tamanho desse esforço preventivo contra várias formas de escravidão, como trabalho escravo e tráfico sexual, bem como as várias formas de discriminação de castas, está tendo um impacto visível nas comunidades dalits e em seus líderes.”

 

 

Longe do distrito da luz vermelha

 

Bhindya* cresceu no distrito da luz vermelha de Mumbai, o centro econômico da Índia. Sua mãe se ausentava com frequência e ela recebeu cuidado de outras mulheres na ausência dela. Mas essas mulheres também desapareciam durante dias, deixando seus próprios filhos e Bhindya para serem cuidados por outras mulheres. Na época, Bhindya não questionava por que a rua em que vivia e a colônia inteira no notório distrito no centro da cidade abrigava apenas mulheres e meninas, enquanto os homens geralmente só as visitavam por curtos períodos.

 

Cinco anos atrás, aos 10 anos, Bhindya foi levada para o Abrigo Pratigya em Hyderabad, um dos dois centros de reabilitação da Iniciativa de Saúde Bom Pastor que ajuda mulheres e meninas a deixarem uma vida de prostituição e quebrar o ciclo do tráfico humano. Lá, ela recebeu refeições nutritivas e manteve uma rotina diária de estudo, brincadeiras e devocionais.

 

Hoje, Bhindya está no 10º ano em uma Escola Bom Pastor e é uma das primeiras de sua classe. Ao contrário de sua mãe que ela perdeu para o HIV, Bhindya tem esperança de um futuro significativo longe do distrito da luz vermelha. Os centros de reabilitação são apenas uma faceta da Iniciativa de Saúde Bom Pastor, um sistema de saúde respeitável que opera em mais de 80 localidades para ajudar cerca de 250 milhões de pessoas com pouco ou nenhum acesso a cuidados de saúde adequados. Além disso, o programa conscientiza e combate o HIV/AIDS, o tráfico de pessoas e a escravidão sexual, que afeta centenas de milhares de mulheres no país.

 

 

Movimento da igreja em crescimento

 

Em 2003, a OM iniciou o movimento da igreja indiana, a Igreja Bom Pastor da Índia (IBPI), para discipular os fiéis, se engajar no ministério holístico e reproduzir as irmandades em todo o país.

 

“Somos conhecidos hoje como um movimento de transformação em rápido crescimento, plenamente engajados em justiça e advocacia, na libertação de crianças através de escolas de ensino médio de língua inglesa, em iniciativas de saúde e tráfico humano, no empoderamento econômico, e na formação de líderes”, disse D'souza. Depois de quase cinco décadas, o movimento tem 4.000 igrejas, lideradas por 1.300 pastores. Enquanto as atividades de transformação incluem programas de alimentação, cursos educacionais e iniciativas de desenvolvimento econômico, o foco principal é o discipulado de indivíduos em seu relacionamento pessoal com Jesus Cristo. Com o crescimento do movimento, tornou-se evidente que décadas de oração por uma igreja indiana em todo o país estavam sendo respondidas. Em março de 2012, a OM India retirou-se da estrutura de governança jurídica internacional da OM e formou uma nova organização externa, a Bom Pastor/OM Índia.

 

Eles continuam o trabalho iniciado em 1964, com alguns campos individuais da OM em parceria com o ministério.

 

Texto original

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

October 30, 2019