NOTÍCIAS

Construindo

December 6, 2018

Por Rebecca Rempel

Tradução de Rodrigo Mendes

Revisão Eunice L G Amaro

 

 

“[A escola] não era assim”, disse Esther, estudante da sétima série, acenando para o bloco da sala de aula enquanto os alunos riam e brincavam durante o recreio. “Era de madeira. Nós sentávamos em tijolos."

 

Esther começou a frequentar a Escola Comunitária de Makwati, em Kabwe, Zâmbia, quando estava na terceira série. Naquela época, a s aulas aconteciam em um pequeno prédio feito de tábuas rachadas e coberto de plástico preto, para afastar a poeira e oferecer um pouco de proteção contra o vento e o sol. Sem mesas nem cadeiras, os alunos seguravam seus livros no colo e sentavam-se nos tijolos que um dia seriam utilizados na construção da escola.

 

Agora, na sétima série, Esther e seus colegas não aprendem mais em um lugar escuro e sentados no chão, pois se mudaram para prédios escolares permanentes.

 

Em 2013, o primeiro bloco de cinco salas de aula foi concluído e, em 2015, o salão principal foi adicionado, seguido, em 2017 por um bloco contendo o gabinete do diretor, cozinha e banheiros. Ainda a ser construído, um segundo bloco de salas de aula permitirá que as aulas sejam ministradas simultaneamente, em vez de divididas em sessões matutinas e vespertinas, além de dar a cada série uma sala que seja toda 'deles'.

 

Os professores, rapidamente, notaram uma melhora no desempenho acadêmico dos alunos depois de se mudarem para as novas salas de aula, pois as crianças estavam mais focadas em aprender e menos focadas em se empurrar para um melhor lugar, ou equilibrar seus livros.

 

Para Paul, outro aluno da sétima série, sua parte favorita na escola é ler a pequena coleção de livros no canto de sua classe e jogar futebol, atrás da escola, com seus amigos. A melhor parte de se mudar para as salas de aula em 2013, de acordo com Paul, foi poder sentar-se em uma mesa para fazer seu trabalho.

 

Embora grande parte da construção tenha sido concluída, ainda há necessidade de financiamento para mobiliar, completamente, as salas de aula com mesas, cadeiras e armários e para adquirir recursos didáticos. Os livros escolares da primeira série, por exemplo, têm seis anos e precisam de substituição, pois passaram por muitas mãos pequenas e ávidas.

 

 

Vendo a diferença

 

“Nós gostamos da escola porque, se aprendermos, também podemos ajudar os outros”, explicou Esther.

 

"As pessoas estão realmente se mudando por causa desta escola", disse Phoebe, que é professora na Escola de Makwati desde o início.

 

Quando a escola começou, a comunidade não reconheceu o total valor da educação. Como a escola mais próxima é bastante distante, e chegar lá envolve atravessar uma rua movimentada, muitos pais não se importavam se a criança frequentava a escola, ou não. Agora, os pais levam as crianças para matriculá-las na Escola de Makwati e incentivá-las a irem às aulas e aprenderem, de acordo com Phoebe.

 

Os professores também viram mudanças em seus alunos. "Eles querem educação", observou Phoebe. “Eles respeitam as pessoas e fazem muitas coisas diferente do que faziam.”.

 

“Depois de os ensinarmos aqui, eles também vão para casa e contam para os pais o que lhes ensinamos”, disse Phoebe. "Se dissermos 'não briguem', quando eles vão para casa, eles dizem aos pais que ‘o professor nos disse para não brigarmos".

 

 

O projeto Manna

 

O projeto Manna oferece aos alunos almoço em todos os dias de aula. Por volta do meio-dia, os estudantes se alinham, ansiosamente, para receber o almoço, geralmente uma porção de nshima (o alimento básico da Zâmbia feito de milho) com molho ou vegetais. Para alguns, é a única refeição completa que eles receberão naquele dia. O programa foi desenvolvido em 2013, depois que os professores notaram que os alunos estavam tendo dificuldades para manter o foco,  falta de envolvimento e energia para brincar durante os intervalos.

 

“Muitos, antes de começarmos [o projeto Manna], estavam sofrendo de desnutrição”, lembrou Phoebe. “Às vezes, mesmo quando você dizia: 'Conte', eles não conseguiam contar porque estavam dormindo. Se você perguntasse a eles: ‘Por que você está fazendo isso? ‘, era porque eles não estavam tendo comida suficiente. ‘Eu não comi o suficiente ontem, é por isso que estou cochilando; é por isso que estou dormindo. ‘. A partir do momento em que iniciaram o projeto Manna, as crianças ficaram felizes e brincando, desse jeito."

 

 

Formação

 

Iniciada em 2010 como resultado de um contato com a comunidade durante a Copa do Mundo da FIFA, a Makwati School é a única escola da região, e oferece educação centrada em Cristo para 289 alunos, desde a pré-escola até a sétima série.  2018 marcou o primeiro ano em que a escola teve uma turma da sétima série, pois, a cada ano, eles acrescentam uma turma para acomodar os alunos em crescimento. Para continuar na oitava série, os alunos devem fazer seus exames e se qualificar para a escola secundária pública.

 

Por favor, ore por mais recursos financeiros para que a escola possa ter as salas de aula completamente mobiliadas, bem como para construir o segundo bloco de salas de aula. Ore para que os estudantes continuem crescendo em seu conhecimento de Jesus e que eles vejam o valor da educação. Ore para que os professores continuem compartilhando o amor de Deus com as crianças ao seu redor.

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

 

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

October 30, 2019