NOTÍCIAS

Viagem missionária a ensinou sua dependência de Deus

December 3, 2018

Por Kristen Torres-Toro | Israel

Tradução de Rodrigo Mendes

Revisão de João Marcos Hansen

 

Marcela, 34 anos, de Longchamps, Argentina, queria ir a Israel desde a adolescência. Em preparação, sete anos atrás, ela começou a estudar hebraico. Quando suas aulas terminaram, ela continuou a sonhar com Israel, até mesmo procurando amigos na comunidade judaica em Buenos Aires.

 

Então ela descobriu uma viagem missionária de 26 dias a Israel com a OM.

 

Como engenheira industrial, anos atrás Marcela ofereceu suas férias a Deus. Em vez de férias, ela faz viagens missionárias. “Todo ano, planejo a próxima viagem missionária. Não é um sacrifício para mim; é realmente uma coisa especial no meu relacionamento com Deus. Eu gosto de sair de férias, mas gosto mais de fazer viagens missionárias”, disse Marcela.

 

Marcela esteve em viagens missionárias para outras províncias na Argentina, mas este ano ela sentiu que deveria servir em um país estrangeiro. Então ela descobriu uma viagem de curta duração a Israel com a OM. Ela soube da OM há cerca de dois anos, tendo ouvido falar sobre a OM em um acampamento de verão em Córdoba. Ela viu um stand da OM e conseguiu algumas publicações para crianças, que ela usou em seu ministério em hospitais infantis em Buenos Aires. Então, quando ela ouviu falar da viagem a Israel, esta foi sua primeira escolha.

 

Então chegou a hora de ver seu sonho de ir a Israel se tornar realidade. Mas ainda melhor do que as férias, a viagem de Marcela permitiu que ela compartilhasse o evangelho na terra onde Jesus viveu, morreu e ressuscitou.

 

“Foi maravilhoso estar onde Jesus esteve, onde Ele morou”, lembrou Marcela. Ela gostava especialmente de estar em lugares mencionados na Bíblia. "Eu senti algo muito especial lá."

 

Sua equipe, composta por pessoas de 10 países diferentes, concentrou-se principalmente no evangelismo. Eles tiveram muitas conversas, o que inicialmente foi difícil para Marcela. “Foi a primeira vez que compartilhei o evangelho em inglês e no começo não me lembrava de tudo. Mas eu tinha líderes sábios, que me mostraram uma boa maneira de fazê-lo e cheguei num ponto no qual eu poderia fazer sozinha. Foi estranho no começo, eu me assustei algumas vezes, mas foi muito emocionante ao mesmo tempo.”

 

Ela também ficou surpresa ao poder interagir com os judeus e muçulmanos. “Antes da viagem, eu só pensava no povo judeu em Israel. Eu só imaginava conversar com o povo judeu, mas durante a viagem eu pude conversar com pessoas de ambas as religiões e isso foi uma coisa linda.”

 

Um dia Marcela e um companheiro de equipe se encontraram com uma mulher chamada Farah*. Conversaram por mais de uma hora, primeiro sobre seus estudos, depois sobre a vida e, finalmente, sobre religião. Farah disse a eles que ela não se considerava uma pessoa religiosa, mesmo praticando as tradições de sua família, porque culturalmente ela é muçulmana.

 

"Ela disse que não teve a chance de escolher sua religião", lembrou Marcela. "Então ela perguntou sobre nossas experiências, porque ela achava que não tivemos escolha também. Então, tivemos que explicar nossa fé: como um dia ouvimos sobre Jesus e nossas vidas mudaram. Então eu compartilhei meu testemunho com Farah sobre como eu nasci em uma família religiosa também. Eu disse a ela que quando criança eu não acreditava em Deus, mas minha avó sempre me falou sobre Jesus. E um dia me senti sozinha e triste. Eu fui traída por uma das minhas melhores amigas e naquele momento lembrei-me de tudo o que minha avó havia me contado sobre Jesus. Naquele momento, comecei um relacionamento com Ele e nunca mais me senti sozinha.”

 

Quando terminou de compartilhar seu testemunho, Marcela notou que o rosto de Farah estava mudado. Ela concordou com eles que havia uma diferença entre uma religião e um relacionamento com Deus. O companheiro de equipe de Marcela se ofereceu para lhe enviar mais informações sobre Jesus e Farah lhes deu suas informações de contato. “Adorei essa conversa”, refletiu Marcela, “porque pude ver como essa senhora conseguia entender a diferença e percebi que muitos muçulmanos estão procurando por Deus, buscando viver da maneira correta.”

 

Embora Marcela tenha crescido em sua capacidade de compartilhar o evangelho em inglês, um dia Deus a surpreendeu ao levá-la a uma mulher argentina - em Israel! Ana* só falava hebraico e espanhol. Marcela pôde conversar com ela sobre o evangelho em sua própria língua. “Eu estava muito feliz”, Marcela compartilhou, “porque naquele dia eu precisava falar em espanhol com alguém. Eu senti que esse dia foi um presente de Deus. Eu pude compartilhar sobre o evangelho e Jesus. Ana me contou que tinha dois amigos judeus messiânicos e que sabia como era difícil para um de seus amigos se tornar cristão. Esta amiga era de uma família ortodoxa e causou um grande problema quando se converteu. Ela também sabia o significado de Jesus ser o Messias; ela sabia o que acontece quando alguém aceita a Cristo. Fomos capazes de orar por ela e dar-lhe um Novo Testamento.”

 

Agora, de volta de sua viagem, Marcela diz que seu tempo em Israel lhe ensinou sua total dependência de Deus. “Foi a primeira vez que compartilhei o evangelho em inglês e não sabia nada sobre a cultura. Tudo era novo para mim. Aprendi a ser mais humilde porque tinha que depender de Deus para tudo. Na Argentina, porque conheço a língua e a cultura, houve momentos em que eu pude confiar em mim mesmo. Mas em Israel, eu não tinha nada além Dele. Se eu não pedisse a orientação do Espírito Santo, eu não tinha nada. Eu quero ser humilde como Jesus.”. Quanto a futuras viagens missionárias, Marcela está orando sobre onde ela irá no ano que vem. Por enquanto, ela está se concentrando em compartilhar o evangelho em sua comunidade local, no hospital infantil e com seus colegas de trabalho. A oração também se tornou um enorme ministério para ela. “Eu gosto de orar por Israel e acho que faz parte da missão também - orar por outros que estão em outros países e províncias fazendo a vontade de Deus. Eu ainda estou em contato com os trabalhadores de Israel, perguntando como posso orar pelo que Deus está fazendo lá.”

 

Marcela pode ter voltado de Israel, mas o impacto da missão continua.

 

*Nome alterado por segurança

 

Kristen Torres-Toro adora contar histórias sobre o que Deus está fazendo no mundo. Atualmente ela trabalha como facilitadora de comunicações de campo na OM Argentina.

 

Texto original

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes