NOTÍCIAS

Um verão de serviço

November 16, 2018

Por OM Internacional
Tradução de Rodrigo Mendes
Revisão Alana Romão Santiago

 

Amy, de 21 anos de idade, da Geórgia, EUA, é uma estudante de saúde pública que quer fazer com que suas férias da faculdade "contem" para o reino de Deus.

 

Depois de dois meses inesquecíveis na África no ano passado, fazendo missões médicas, o coração de Amy ansiava por passar o verão de 2018 de maneira semelhante. Mas, quando esses planos não deram certo, o pai dela fez uma sugestão: por que não visitar velhos amigos da família, Robbie* e Angela*, que trabalham com a OM em Montenegro e com quem ele mesmo havia se voluntariado anos atrás?

 

Robbie e Angela ficaram emocionados ao receber um e-mail de Amy, a quem conheciam desde a infância e logo os planos para um estágio de seis semanas no sudeste da Europa estavam se encaixando. Apesar de Angela e Robbie estarem sediados em Bar, na costa sul de Montenegro, a programação que planejaram para si e para Amy lhe daria um gostinho das atividades da OM não apenas em Montenegro, mas também na Sérvia.

 

 

Tempo especial no Art Camp

 

Uma parte de Bar que os turistas raramente vêem é a cidade velha.

 

Historicamente é uma área de pobreza e privação. A maioria dos moradores tem uma herança muçulmana e a base do ministério de Robbie e Angela, The Lighthouse, fica bem no coração da cidade. É muito popular para as crianças e jovens locais, como um lugar para passear e também, por conta das atividades organizadas lá. A arte e o artesanato são os grandes favoritos tanto para meninas quanto para meninos, uma vez que eles têm muito pouca oportunidade ou incentivo para serem criativos, e os suprimentos de artesanato podem ser difíceis de obter localmente. Angela lidera as atividades de artesanato e estava planejando um Art Camp especial de uma semana, então a ajuda de Amy foi muito valiosa. A ideia original de Angela era que todo mundo faria um ofício diferente a cada dia, então mostraria tudo na noite final, como uma exposição para os pais comparecerem.

 

Mas, na primeira manhã Angela logo percebeu que as crianças que estavam vindo não moravam com os pais ou as situações em casa eram realmente difíceis, o que significa que os membros da família talvez não comparecessem a uma exposição. “Então nossos planos mudaram quando percebemos que Deus havia trazido o grupo perfeito de crianças para as quais poderíamos dar um pouco mais de amor e atenção, que não tinham em casa.” Foi um grande benefício para Angela ter Amy no Art Camp com ela, porque como diz Angela, “ela fez um ótimo trabalho mostrando o amor de Jesus” para as crianças. Amy valorizou especialmente oportunidades como o tempo que passou com Nejla, de 14 anos, “apenas conversando e encorajando-a, em meio ao caos no acampamento de artes”, como descreve Amy. Nejla amava compartilhar sobre sua família, seu local de nascimento na Bósnia, escola e seus sonhos para o futuro. Outra adolescente, Amna*, queria praticar o inglês com Amy, tentando expressar sua paixão pelo aprendizado e pela vida.

 

 

Máquinas de costura ocupadas

 

Esse não foi o fim dos artesanatos para Amy. Robbie teve uma ótima ideia, que Angela comentou que normalmente significaria muito trabalho para ela, mas, esse foi um plano muito bom. Então, Angela decidiu que valeria a pena. A ideia de Robbie era fazer sacolas de presente para os 115 trabalhadores do abrigo de idosos, onde o casal visitava regularmente seu amigo especial Duska, um dos 300 residentes. Durante uma semana inteira, Amy e Angela cortaram e costuraram sacolas atraentes, depois compraram pela cidade loções, café e doces suficientes para enchê-las. Em seguida, uma jornada de duas horas para o norte ao longo da costa até uma das duas casas de repouso administradas pelo Estado para idosos.

 

 Robbie e Angela querem investir nas vidas não só dos moradores, mas também da equipe. Quando a equipe de atendimento foi presenteada com as sacolas de presente, eles ficaram tão surpreses e agradecidos. Uma das citações favoritas de Angela é de Madre Teresa ... "Faça pequenas coisas com grande amor", e ela sente que esses presentes simples mostraram o amor de Deus aos obreiros e continuarão crescendo e aprofundando seus relacionamentos com todos no abrigo. Amy se lembra de sentir um pouco nervosa ao entrar pela primeira vez na casa de repouso sem saber o que esperar. Porém, logo se sentiu à vontade porque a equipe e os moradores eram todos muito amigáveis. "Tiveram alguns moradores conversando comigo, mas, o que eles não sabiam era que o idioma sérvio me impedia de entendê-los", diz Amy. “Eu gostaria de ter falado com eles e ouvido suas histórias! E eu particularmente adorei ver seus rostos se iluminarem quando tocamos música para eles.”

 

 

Lavando, lavando… e lavando ainda mais

 

Outra viagem de carro que Amy fez com Robbie e Angela levou ainda mais tempo - 11 horas de montanhas, túneis rodoviários, curvas apertadas e finalmente a passagem pela fronteira para a Sérvia. Aqui em um campo de refugiados, a OM oferece uma enorme tenda como um espaço comunitário para os 350 ocupantes do acampamento e também administra o serviço de lavanderia. Amy e Angela ficaram ocupadas na lavanderia, onde em apenas um dia processaram 67 cargas de roupa. "Oh meu!", ri Amy. "Eu nunca vi tanta roupa ao mesmo tempo! No começo parecia muito, mas, depois que entrei no ritmo, foi realmente divertido, como tentar explicar o processo para os refugiados que não entendiam inglês. Eu realmente gostei de poder ajudar de uma forma tão tangível no acampamento.”

 

Enquanto isso, Robbie estava baseado na própria tenda da OM, onde teve uma rica experiência envolvendo servir chá, jogar tênis de mesa e jogos de tabuleiro com os homens e meninos que vêm de terras como Iraque, Irã, Afeganistão, Somália, Tunísia e Paquistão. Um destaque cultural para Robbie foi dançar com alguns homens curdos sua música local. Os destaques espirituais incluíram estudar a Bíblia com um sírio e alguns iraquianos. Robbie comenta que isso é “uma grande honra em compartilhar e mostrar o amor de Deus para essas pessoas em um momento em que elas estão 'perdidas' em todos os sentidos”.

 

 

Indo para casa

 

Refletindo sobre a contribuição amorosa e servil de Amy para todas as diferentes atividades neste verão, Angela comenta que com jovens como ela por perto, o futuro parece bom para outras pessoas conhecerem a Cristo. A própria Amy reflete que em meio ao turbilhão de atividades em Montenegro, aconteceram também preciosos momentos mais calmos de comunhão (às vezes, apesar de nem sequer uma palavra ser pronunciada devido a barreiras linguísticas) ou ficar sem palavras pela a maravilhosa criação do mar Adriático. Todavia, seja naqueles momentos mais calmos ou em atividades plenas, foi um privilégio compartilhar os propósitos amorosos de Deus para pessoas não alcançadas de todas as idades e origens.

 

Por favor, ore por Amy enquanto ela conclui seus estudos de saúde e busca o lugar de Deus para ela no mundo!

 

*Nomes alterados para proteger a privacidade

 

Texto original

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

 

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

October 30, 2019