NOTÍCIAS

Inundação no Laos

October 16, 2018

Por Ellyn Schellenberg 

Tradução de Rodrigo Mendes

Revisão de Eunice L. G. Amaro

 

"Estávamos todos trabalhando nos campos de arroz. Minha esposa e minha filha de três anos estavam ocupadas, arrancando ervas daninhas, enquanto eu trabalhava algumas fileiras à frente e minha filha de 10 meses dormia, profundamente, em um braço. Ouvimos um som como se fosse de um trem vindo do rio acima. Nos viramos apenas a tempo de ver a parede de água vindo de um canto, e vi minha mulher e minha filha desaparecerem e o muro me atingiu" reportou um homem que está em um abrigo temporário perto de Attapue, Laos.

 

"Eu estava mais perto de nossa casa e a água me empurrou até o telhado.

 

Quando me agarrei ao telhado, olhei para baixo. Minha filha tinha sumido, a outra dormindo em meus braços foi a próxima a desaparecer. Minha casa desmoronou embaixo de mim e eu flutuei. Acabei em uma árvore com alguns outros vizinhos.

 

Aprendi que há coisas piores do que morrer. Os mortos são os sortudos. Tudo se foi, minha vida se foi ...”

 

Desde 6 de agosto de 2018, 762 aldeias, em 13 províncias do Laos, registraram inundações devido às recentes fortes chuvas de monções. Em todo o país, um total de 35.000 pessoas foram, diretamente, afetadas: perderam suas casas, suas colheitas de arroz e mais de 110 pessoas perderam suas vidas. A província mais severamente inundada é a Attapue, onde o colapso de uma represa, em 24 de julho, resultou em mais de 7 mil pessoas em busca de abrigo e segurança em cinco campos temporários diferentes. O número de mortes confirmadas continua a aumentar, pois muitas outras ainda não foram oficialmente contabilizadas.

 

“Nós tememos que o aumento da insegurança alimentar, a perda de moradias e de meios de subsistência, o risco de doenças, juntamente com a diminuição do acesso a instalações de saúde e água potável empurrarão muitos agricultores de subsistência para mais pobreza”- declarou o líder da OM no Laos. “Os agricultores poderiam estar se recuperando, mas não há reservas e os campos podem ainda não estar prontos para a próxima colheita.

 

“Não é incomum inundar uma vez [no ano durante as chuvas de monção], mas minha vila já inundou três vezes”- compartilhou Sevinay*, um jovem crente do Laos que, atualmente, está servindo com a OM no Laos. "Não sabemos o que fazer. Minha família e parentes estão desencorajados, porque a água inundou a parte inferior de suas casas. Eles precisaram mover todos os seus pertences para um lugar mais alto, mas seguir a vida é difícil para todos, porque todo o arroz nos campos está perdido.”

 

Enquanto as chuvas parecem ter diminuído, a água perto de onde a represa estourou parou de drenar e ficou estagnada em muitos lugares. Lama, detritos e animais mortos não estão apenas criando um risco biológico, mas também atrasando a análise de reconstrução. As Nações Unidas previram que poderiam levar meses até que essa lama profunda seque o suficiente para que possam entrar e analisar a situação.

 

A OM está trabalhando com um pastor local para entregar cestas básicas de ajuda a 47 famílias em uma aldeia remota e avaliar outras áreas onde eles podem ajudar por meio de outros contatos. Eles estão fazendo parcerias com associados para garantir que a assistência necessária seja distribuída e que as relações entre os crentes locais e suas comunidades possam ser fortalecidas. Os cristãos ainda são perseguidos em muitos lugares em todo o país, mas em razão desse desastre natural, alguns oficiais que colocaram muitos cristãos na prisão estão agora trabalhando em conjunto com aqueles que eles aprisionaram.

 

"Eu nunca esquecerei aquele sentimento inicial de desamparo. O que eu poderia fazer, uma menina jovem trabalhando na capital, para ajudar minha aldeia?"

 

Lembrou Sevinay. "Mas então me lembrei de Jesus. Eu orei, em meu coração, para que Deus fizesse um caminho para ajudar minha família. Nesse mesmo dia muitos amigos oraram comigo e foram capazes de ajudar a fazer um plano para ajudar minha família. Agora minha aldeia tem arroz. Deus tirou minha falta de esperança e me mostrou que sempre posso ter esperança em Seu plano. ”

 

Por favor, ore para que Deus use essa situação para tornar conhecido o Seu nome e para que muitos crentes locais tenham oportunidades de explicar por que eles são capazes de perdoar e servir ao próximo. Ore, também, para que os níveis de água não subam novamente, pois isso tornaria uma situação, já difícil, ainda pior.

 

*Nomes alterados

 

Texto original

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.

 

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes