NOTÍCIAS

Lidando com a decepção no campo

November 1, 2017

Por Nicole James

Tradução de Rodrigo Mendes

Revisado por Jéssica Ferri

 

Quando Dan* e Jane* se mudaram para o Oriente Próximo (campo do ministério da OM que envolve Líbano, Jordânia, Iraque e Síria) eles esperavam conhecer vizinhos árabes nas ruas, serem convidados para suas casas e rapidamente fazer amigos. Mas, como recém-chegados em uma área urbana no país anfitrião, o casal mudou-se para a vizinhança de cidade grande: “as pessoas voltam para casa, entram e fecham a porta. As pessoas não ficavam nas ruas", descreveu Dan.

 

O quadro que eles imaginavam era muito diferente do que experimentaram, disse o casal. "Quando você vai a campo pela primeira vez, as pessoas compartilham histórias com você sobre o que acontece [nas missões], mas eles não compartilham o que acontece desde quando você acorda até quando você vai para a cama. Você só percebe como a vida realmente é quando você está no campo. A expectativa alcança a realidade muito rapidamente e então você pensa: e agora?", explicou Dan.

 

Rick, um trabalhador de longo prazo da OM no Oriente Próximo entendeu a experiência de Dan: "Eu acho que pode haver muita desilusão no sentido de que as pessoas geralmente pensam que será mais fácil fazer amigos do que realmente é. Eles ouvem que o mundo árabe é a terra mais hospitaleira do universo. Então eles saem aqui e é preciso muito trabalho".

 

Rick continua. "Quando você está com seus amigos locais, você está sempre no modo de ministério. Um dos meus melhores amigos no universo é um árabe. Somos parceiros de confiança. Eu digo tudo a ele. Mas, ele não sabe que sou [um missionário]".

 

Obediência fiel

 

Alguns ajustes levam tempo, seja aprendendo a língua, fazendo amizade com árabes e, no caso de Dan e Jane, mudando-se.

 

"Agora vivemos em uma comunidade onde mais pessoas estão nas ruas e as crianças brincam em nosso quintal. Conhecer pessoas é mais fácil. Compartilhar histórias com pessoas tem sido mais fácil", explicou Dan. Mas outras restrições como um emprego em tempo parcial e um novo bebê tornaram o ministério mais difícil. "Está levando mais tempo, mais do que tínhamos antes".

 

Ainda assim há oportunidades para a obediência fiel. Às vezes, de acordo com Dan, a própria mensagem pode impedir o ouvinte de compreender a verdade. "Muitas vezes contamos nossas histórias dentro do contexto ocidental. Existem barreiras, mas você não pode vê-las nem pode ouvi-las. Nesses casos, prover um contexto cultural pode ajudar”, ele observou.

 

Um ano atrás Dan estava conversando com um amigo local, Ahmed*, que assistia um vídeo do YouTube em que um pai via sua família se afogando em uma inundação repentina, incapaz de fazer qualquer coisa para salvá-los. Enquanto Dan observava o vídeo, ele começou a chorar. "Como você pode fazer isso sem [um relacionamento com] Deus?", ele perguntou.

 

Ahmed não respondeu. "Apenas o vazio em seu rosto - ele não podia entender a relação emocional do que eu estava experimentando", compreendeu mais tarde. "Existem muitas outras situações nas quais você tenta compartilhar e acerta um muro, onde você compartilha e não recebe uma resposta”, acrescenta Dan.

 

"Você compartilha seu testemunho, você compartilha seu coração na frente das pessoas e você não vê nada. Talvez isso nos mantenha humildes por às vezes não ver resultados imediatamente. Nós dependemos de Deus para o trabalho ser feito".

 

Às vezes, a falta de interesse na verdade espiritual significa seguir em frente, depois de verter dias, horas, semanas e meses com as pessoas. "Foi difícil", admitiu Dan. Mas ele se agarrou à "promessa de que a Palavra de Deus dará frutos, para continuar perseverante, independentemente se não vemos resultados agora".

 

Rick também ficou desapontado depois que ele e outro trabalhador estudaram a Bíblia com dois homens árabes semanalmente por dois anos. "Foi fantástico. Eu aprendi muito. Fazendo isso em árabe você tem que estudar o dobro. Você não só estuda a passagem como também tem que estudar como apresentá-la bem em árabe. Então eu realmente gostei", explicou Rick.

 

Além disso, ele disse que valorizava ver os homens árabes estudando e aprendendo a puxar as lições. "Mas depois de dois anos fazendo isso, nada mudou", afirmou. Os homens "não pareciam estar compartilhando o evangelho. Eles definitivamente não estavam superando coisas como medo e esse grupo de quatro caras começou a ser visto como igreja".

 

Quando Rick e o outro trabalhador convidaram um pastor local para se juntar ao seu estudo e fornecer ensinamentos na igreja, os dois homens árabes e o pastor acabaram discutindo uns com os outros. De repente, dois anos de estudo da Escritura terminaram.

 

Rick e o outro trabalhador se reconciliaram com os homens árabes após a discussão, mas decidiram interromper o estudo. "Se esses caras estão apenas interessados neste confortável e feliz jogo de sentar na sala de estar, beber chá e ler a Bíblia, isso vale a pena?", considerou Rick.

 

Outro amigo que Rick estava discipulado o roubou, acabando na prisão. "Houve muitos desapontamentos", disse Rick. "Isso sempre lhe deixa se perguntando: Qual é o objetivo?”

 

“Realmente vale a pena? E eu acho que vale".

 

Ele citou Mateus 9:38, onde Jesus disse a seus discípulos que orassem ao Senhor das colheitas para enviar trabalhadores para a Colheita (NKJV). "Jesus é o Senhor da colheita", Rick explicou. "Você e eu não somos os senhores da colheita. Não podemos produzir frutos. Mas somos chamados pela obediência fiel através dos tempos de grandes movimentos do Espírito e somos chamados pela obediência fiel quando Deus parece não estar se mexendo”.

 

Ore para que os trabalhadores no campo do Oriente Próximo perseverem com obediência fiel através dos tempos em que eles não veem frutos. Ore por avanços nos relacionamentos e oportunidades para compartilhamento da verdade com os menos alcançados.

 

*O nome foi alterado por segurança

 

Nicole James é uma viajante mundial e escritora da OM International. Ela é apaixonada pela parceria em campos para comunicar as formas como Deus está trabalhando em todo o mundo.

 

Texto original.

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilhar o conhecimento de Jesus e Seu amor com cada geração, em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar a esperança em mais de 110 países.

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

October 30, 2019