NOTÍCIAS

O fim

July 31, 2017

Por Anna Wegermann

 

"Por várias vezes eu tentei coletar e combinar as palavras que pudessem me fazer expressar o que o meu tempo a bordo do Logos Hope significou, não demorou muito para que eu percebesse que, sem considerar os meus seis meses de CTM na OM Brasil, eu nunca conseguiria descrever o que toda essa jornada eternizou em mim.


A vida é uma jornada, é o que diz no deck 3 da maior (e única) livraria flutuante do mundo, todos nós estamos indo para algum lugar e cada parte de nossa vida é uma estação diferente. A OM Brasil foi para mim tão importante que nem sei explicar, importante para que eu me desvinculasse de uma imagem “ela trabalha na igreja por ser filha do pastor”, importante para me mostrar o quanto amar as pessoas é necessário mesmo quando elas não te entendem ou não gostam de você, importante pra saber que não existe hora ou momento certo para ter tato para falar com os outros e importante para saber que nem tudo que existia em mim precisava mudar, porém essa consciência do que devemos ou não mudar, vem de Jesus e não de nós mesmos.


Foi com essa ideia em mente que eu empacotei meus 32kg de coisas que eu não usaria, coloquei nas costas e fui em direção ao um dos meus maiores sonhos: ser missionária. Eu estava radiante, garanto para vocês, empolgada para o ministério, ansiosa para conhecer novas pessoas, fazer novos amigos, crescer na minha vida emocional e espiritual, mas a vida, meus amigos, é uma caixinha de surpresas, e na minha primeira semana eu descobri que se eu quisesse mesmo viver do que eu chamava de ministério eu teria que abrir mão de muitas horas de sono e liberdade.

 

À bordo nós temos 5 departamentos, um deles se chama Angels que é a hotelaria do navio, eu me inscrevi como primeira opção e fui aceita. Preciso admitir pra vocês que nas primeiras duas semanas não teve um dia sequer que eu não tenha me arrependido disso, mas Deus, na lindeza e cuidado dEle, sabia que era aquele o meu ministério.


Hoje, depois de onze meses a bordo (que eu chamo de um ano porque soa mais bonito) eu posso dizer que aprendi a respeitar mais as pessoas e o que elas fazem, aprendi a amar quem não me respeita também e demonstrar isso mesmo quando eu não quero, eu aprendi que humildade abrange tantas áreas que nem eu e nem você sabemos o que é e que, se não estivermos sempre dispostos a mudar, nunca saberemos. Eu aprendi que eu não preciso dar a minha opinião sempre, mesmo que eu sempre tenha uma opinião sobre tudo e que limpar um banheiro é tão importante e honrável quanto pregar em uma igreja ou ser presidente de um país. Eu aprendi que pecado é o que a Bíblia nos diz que é pecado e não o que a gente acha ou o que alguém nos disse, eu aprendi que ser fiel no pouco pode significar os meus 10% do dízimo, mas também pode significar não deixar de limpar nem uma janela em um navio com mil janelas. Eu aprendi que 60 nacionalidades diferentes vivendo em um lugar só é umas das coisas mais bonitas do mundo e que diversidade é umas das coisas mais lindas que Deus criou. Aprendi a servir sempre com amor e a não esperar nada em troca, aprendi que Deus se preocupa com cada detalhe do que nós sonhamos e esperamos, aprendi que nossa atitude define o que vamos ou não aprender.

 

Eu saio desse barquinho mais lindo do mundo com a certeza de que ele foi criado por Deus para ser uma escola, onde eu aprendi a ser mais flexível, mais paciente e onde me diverti muito também. Eu conheci pessoas que vão estar sempre comigo e pessoas que, mesmo estando longe, eu vou amar sempre. Meu objetivo é manter em mente até o fim dos meus dias aqui na terra que, servir a Deus é estar disposta e que não existe um lugar determinado ou mais importante porque, não é sobre o que eu faço mas o motivo pelo qual eu faço, e o motivo é: amar as pessoas, amar a Deus e servir a todos.


Hoje quando eu olho para a nova estação a minha frente eu vejo os meus sonhos, saindo do meu peito em direção ao céu e subindo alto nas asas do espírito, eles são como vagalumes em uma noite escura, que iluminam o meu caminho e me dão a certeza de que Deus me ama e que vai guiar o meu caminho para o melhor que eu posso ter se eu apenas confiar."

 

O Navio Logos Hope tem hoje 13 missionários brasileiros trabalhando como voluntários.

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilhar o conhecimento de Jesus e Seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar a esperança em mais de 110 países.

 

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes

October 30, 2019