NOTÍCIAS

Conferência Global Challenge desperta cristãos capixabas

July 31, 2017

 

 Por Léia Tassi

 

As trocas de experiências entre missionários e membros da igreja local despertaram para o momento urgente de levar o Evangelho a todos os povos.

 

A OM Brasil realizou mais uma edição da Conferência Internacional Global Challenge neste mês de julho. Este ano, a cidade escolhida para receber o evento foi a capital do Espírito Santo, Vitória. A cidade, conhecida por ser um dos melhores lugares em qualidade de vida e ter um dos maiores números de pessoas que se dizem cristãs, vive o paradoxo de estar em um Estado onde mais se matam mulheres.

 

Atentos à realidade dos capixabas, a equipe da OM Brasil e Global Challenge trouxe o desafio de impactar os moradores desta região com a experiência dos missionários que já atuaram em diferentes campos. E ainda, transformar cada seguidor de Jesus em um verdadeiro evangelista no campo mais difícil para trabalhar: o seu local de moradia.

 

E como não há tempo a perder, a conferência já começou chamando atenção pelo tema, que não poderia ser outro: “Chamados para Transformar”. Durante três dias os participantes ouviram relatos sobre locais que Deus deseja transformar. Mas não apenas regiões geográficas com limites estabelecidos pelas escalas dos mapas. Há muito ainda o que transformar nos corações de quem segue a Cristo.

 

Coordenadora do Global Challenge desde 2011, Simone Aragão revela um dos desafios desta edição. “Cristãos brasileiros se encontraram para compartilhar experiências, aprender mais sobre missões, orar e encorajar outros cristãos para um dos grandes desafios da atualidade: levar a Palavra de Deus e o amor de Jesus Cristo ao mundo muçulmano”, afirmou Simone. E ela vai além “‘Agora é o tempo’, fomos ‘Chamados para transformar’. O título da campanha desse ano descreve a urgência dessa missão e a necessidade desses povos que também clamam por Deus, muitas vezes sem ao menos saber disso”, ressalta.

 

O orador oficial da conferência foi o diretor executivo da OM no Uruguai, pastor Alejandro Las, que despertou os participantes a perceberem onde Deus está agindo e atuarem junto a Ele no plano de expansão do Reino na terra. Entre os objetivos das suas mensagens estavam mostrar que com simplicidade e um coração disposto a servir, a transformação será uma realidade na sociedade.

 

Sobre a conferência ele enfatizou que foi um tempo de crescimento dinâmico de qualidade, que motivou e mobilizou a igreja para o despertamento local e global. “Eu vi o trabalho de Deus em vários aspectos. E a partir dessa conferência, espero ouvir que várias pessoas estão se preparando para servir ao Senhor por um ano inteiro. Eu também gostaria de saber que pessoas expressaram seu desejo e chamado para servir em tempo integral o Senhor”, encorajou o pastor.

 

Desta vez, o local que abrigou toda a estrutura do Global Challenge foi a Igreja Batista em Maruípe. Localizada em um bairro de maioria residencial e de moradores idosos, a igreja tem buscado ser relevante na vida da comunidade. Uma das dificuldades que tem enfrentado nestes tempos está relacionada à desigualdade social, já que ao redor do bairro localizam-se regiões periféricas, onde o envolvimento com as drogas e o crime têm recrutado adolescentes.

 

Por isso o pastor da igreja, Márlon Gomes, que está à frente da congregação há quatro anos, resolveu investir ainda mais na área de missões e trazer o evento Global Challenge. “Quem diria que uma conversa na base da OM resultaria em uma Conferência que marcou profundamente a minha vida e a comunidade em que estou inserido. Grato a Deus pela vida dos missionários que aqui vieram e compartilharam suas ricas experiências e nos incentivaram a olhar o mundo como ele é: campos brancos prontos para a ceifa. Como bem disse Pr. Alejandro Las: ‘Nada acontece por acaso’”, relembra o pastor.

 

Ele ainda completa que não imaginava que a igreja participaria tanto e que seria igualmente impactada pelas experiências pessoais de cada missionário.  “Na maioria das vezes não conseguimos compreender os desígnios de Deus, mas quando nos submetemos à Sua vontade, ficamos perplexos com o Seu agir. E foi assim no Global. Vi o quanto Deus agiu poderosamente através da OM e da Zoe”, revela. “Creio que os irmãos da Igreja Batista em Maruípe guardarão para sempre estes dias e momentos especiais. Deus falou em cada oficina, celebração e nas conversas ao longo destes dias. Que aprendizado! Que lição!”, finaliza grato e saudoso.

 

 

Oficinas que transformam

 

Além das mensagens inspirativas e usadas por Deus do Pr. Alejandro Las e o compartilhar de experiências entre os missionários e participantes em um fórum realizado durante a conferência, o evento também contou com as oficinas ministradas por missionárias e parceiros da OM Brasil. Entre as opções de oficinas estavam explorando o mundo muçulmano, flash mob, evangelismo de impacto, evangelismo através do esporte, missões urbanas e as oportunidades da OM ao redor do mundo.

 

 

Maria Fernanda Campos, a Mafê, conduziu a oficina de evangelismo através do esporte. E falou com muita propriedade, afinal, ela é atleta profissional de futebol feminino. Entre os clubes nacionais por onde passou destacam-se os grandes rivais paulistas, Corinthians e Palmeiras. “A conferência é uma grande oportunidade de inspirar, mobilizar e despertar a igreja para o desafio global de evangelização. Durante a conferência, compartilhamos de momentos especiais com os irmãos, discutindo sobre a missão hoje e algumas estratégias que Deus tem nos dado para alcançar pessoas”, relatou a atleta que atuou como missionária na Inglaterra por dois anos.

 

 

Outra oficina que também chamou a atenção dos participantes foi sobre a cultura do mundo muçulmano. A missionária Maria A. que ministrou esta oficina atuou por quase três anos no Oriente Médio, trabalhando especificamente com as mulheres que seguem o Islamismo. O contato com a cultura foi uma experiência a parte. Toda a sala da oficina foi ambientada com elementos da cultura árabe, como o Alcorão, livro sagrado do Islã, tapetes bordados com desenhos de mesquitas e a própria missionária vestida com trajes típicos da região.

 

“Foi bom saber do interesse das pessoas pelo Islã. Muitos foram pela curiosidade, porque ouvem na mídia muitas coisas do povo muçulmano, mas não conhecem seus costumes. Acredito que a oficina serviu pra informação e também para aprenderem um pouco mais sobre como lidar com esse povo”, ressaltou a missionária.

 

Ela ainda disse que a oficina serviu para abrir um pouco a mente dos participantes, pois muitos têm medo do povo muçulmano. “Não é um povo que a gente deve ter medo ou receio. Eles são gente como a gente. Esse povo confessa uma religião diferente, mas fazem isso por amor ao seu profeta, assim como nós devemos fazer por amor a Jesus”, enfatiza.

 

 

A oficina sobre as oportunidades da OM ao redor do mundo também chamou a atenção dos participantes. Quatro missionários que já atuaram por mais de um ano em campos contaram suas experiências e apresentaram aos participantes que existem locais onde é urgente levar o evangelho.

 

 

Suzana Santos*, uma das missionárias que ministrou esta oficina, relata sua experiência. “Com essa apresentação das oportunidades ao redor do mundo eu espero que as pessoas se firmem ainda mais na palavra do Senhor, que orem, leiam a Bíblia, estudem e conheçam mais a Deus e dediquem com paixão suas vidas ao Senhor”, completou Suzana, que respondeu ao chamado missionário do Senhor durante o Global Challenge de 2008 e em 2010 já seguia para seu campo no Oriente Médio.

 

Entre os parceiros da OM que participaram da conferência está a companhia de Artes Zoe. Yara Oliveira, que lidera o grupo, salienta a importância de participar desta conferência missionária. “Foi muito bom fazer parte de um grupo de semeadores nestes dias. Cremos que Deus está despertando sua igreja para a última trombeta e nós estamos aqui levantando os ceifeiros. O Global é o caminho para lançar sementes na igreja”, completa a bailarina.

 

 

"Melhor é dar do que receber"

 

Paulo, ao citar o próprio Cristo com esta frase, estava indo para uma viagem sem volta. E ainda assim agradeceu por poder doar o máximo de si sem esperar receber algo em troca por isso. O versículo faz todo sentido para a equipe do Global Challenge. Elas relatam que foi ainda mais abençoador para elas poder compartilhar com os participantes e a igreja um pouco do que Deus tem realizado ao redor do mundo.

 

Graciele Lima, que faz parte da equipe missionária da OM há três anos, conta que a experiência de participar pela primeira vez da equipe de trabalho do Global Challenge foi gratificante. “Foi uma experiência muito legal estar envolvida e ver o impacto que o Global teve na vida dos participantes, tanto nas oficinas quanto na conferência. E também ver esse impacto na nossa vida, ao compartilhar das nossas experiências com a igreja”, acrescentou a missionária que já atuou por três anos na Venezuela.

 

Ela ainda reforça a importância do evento na vida da igreja, ao desafiar os membros quanto ao seu papel no ide deixado por Jesus aos seus seguidores. “Espero que a partir deste momento aqueles que estavam desanimados, ociosos ou negligentes ao chamado do Senhor, possam tomar uma decisão. E que a igreja aprenda que o chamado missionário não é para um e sim para todos e que a igreja faz parte desse chamado também”, completa.

 

Também participando pela primeira vez da equipe de trabalho do Global Challenge, Débora Gonçalves relata que foi uma experiência inesquecível. “Foi Deus derramando, mais uma vez, de Sua graça escandalosa. Não houve muita gente, no entanto, aqueles que participaram o fizeram ativamente, contribuindo para o crescimento e espalhamento do Reino de Deus aqui neste mundo”, completou a missionária que atuou com meninas muçulmanas durante os dois anos que esteve na Inglaterra. “Saio de Vitória com a certeza de dever cumprido com prazer. Muito ensino, muito aprendizado, muita comunhão e amizades para o resto de minha vida. A Deus toda glória!”, celebra.

 

Simone Aragão salienta o principal objetivo do ministério. “Desafiar e despertar o povo de Deus para a ordenança de Jesus por meio de inúmeras oportunidades de servir através de missões tem sido o objetivo do Global Challenge. Ouvir e praticar a Palavra, doar e receber o amor de Deus por meio do serviço ao outro, informar e integrar a igreja local sobre os desafios ao redor do mundo é o grande objetivo do ministério, já que ‘a missão começa onde estamos e só termina onde Deus quiser’”, finalizou a coordenadora que se diz contente e realizada com mais uma conferência.

 

*Nome alterado por questões de segurança.

 

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilhar o conhecimento de Jesus e Seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar a esperança em mais de 110 países.

 

 

Compartilhar
Compartilhar
Curtir
Please reload

Notícias em destaque

Lutando contra a pobreza do conhecimento bíblico

May 31, 2019

1/7
Please reload

Notícias recentes