• OM International

Testemunho Espontâneo


#Internacional “Meu desejo é que nossa maneira de viver, de nos relacionarmos com os outros e o modo como nós amamos nossa comunidade espelhe o Amor de Jesus”, compartilhou Julieta* da América do Sul. “Nós queremos viver de uma forma natural e espontânea. Não de uma maneira exibicionista.”


Nos últimos 18 anos, Julieta e seu marido têm compartilhado o amor de Cristo por toda a Ásia Central e Ocidental. “Nós fazemos isso de maneiras diferentes e criativas”, disse ela. Desde cantar e tocar canções folclóricas, até conversar com vizinhos para ensinar inglês, o que é importante para Julieta é que tudo é feito de boa vontade e com oração.


Ela mantém os olhos abertos à procura de pessoas de paz –– alguém em quem Deus já está trabalhando e a quem ela possa ajudar a ir mais fundo em sua fé. Quando ela encontra tais pessoas, ela lhes apresenta as Escrituras, pergunta se elas gostariam de saber mais e, caso queiram, indaga se há alguém em sua comunidade que gostaria de se unir a eles. "Nós sempre tentamos fazer isso em grupos, porque elas são pessoas comuns", explicou Julieta sobre as pessoas entre as quais ela conviviveu.


"Já experimentamos tantas coisas malucas", continuou ela. "Conhecemos alguém, e depois um amigo, e então o amigo nos convida para irmos conhecer toda a família, e, de repente, estamos todos sentados na casa de um estranho, em uma aldeia, lendo a Bíblia juntos."


‘Deus ama você’


O que Julieta mais gosta sobre contar a boa nova é ver "como Deus pode mudar diferentes situações por meio da oração. Como, igualmente, é especial poder conviver com alguém e se aprofundar em um relacionamento no qual você não está sozinho, no qual estamos nos apoiando e andando lado a lado. É tão bom", enfatizou. "Isso é o que o Senhor nos enviou para fazer. Fazer discípulos... É tão emocionante quando vejo alguém entender o significado do que é ser um verdadeiro discípulo de Jesus."


Jamila* é uma amiga com quem Julieta tem viajado ao longo do último ano e meio. Originária da Síria, Jamila foi apresentada a Jesus ainda jovem por um amigo, quando sua família morava na Europa. Anos mais tarde, quando seu país estava em guerra, Jamila começou a questionar a fé islâmica de sua família, e continuou lembrando as palavras de sua amiga: "Deus te ama."


Buscando a verdade, Jamila leu as Escrituras e se conectou com grupos cristãos online. Uma a uma, suas perguntas foram respondidas, até que apenas uma permaneceu: será que Jesus realmente tinha morrido por seus pecados? Uma noite ela sonhou com Jesus na cruz, e quando acordou, ela não tinha mais dúvidas e deu sua vida a Cristo, embora não conhecesse nenhum crente perto dela.


Depois de se mudar para o país onde Julieta mora, Jamila começou a participar de uma reunião de seguidores de Jesus. Ela vinha orando: “Deus, eu me sinto muito fraca. Por favor, envie alguém que me ajude a crescer na minha fé.” Quando terminou de orar, virou-se e viu Julieta sorrindo para ela. Desde então, Julieta vem incentivando e orientando Jamila. Casada, com uma filha, Jamila estava aterrorizada com as reações de sua família se descobrissem suas crenças, mas, lentamente, ela compartilhou com eles conforme o Senhor guiou. A família de Jamila tentou convencê-la a retornar às suas crenças islâmicas, mas "Deus está lhe dando força, embora não tenha sido fácil", explicou Julieta.


Agora, Jamila pede conselhos a Julieta sobre como orar com sua filha e ler a Bíblia com ela."[Jamila] quer crescer", disse Julieta. "Tem sido uma jornada tão bonita essa caminhada com ela."


‘Receptivas ao Evangelho’


A pandemia COVID-19 possibilitou novas oportunidades para Julieta e sua família serem luz em sua comunidade. “Com as restrições em vigor, limitando atividades e movimentos, as pessoas têm mais tempo para conversar e estão ‘receptivas’ ao aprendizado sobre Cristo por meio de ministérios de mídia”, disse ela. Sua família também passou mais tempo fora com os vizinhos, compartilhando com eles "com maior proximidade e vendo Deus responder orações, como curar um menino vizinho que estava experimentando medo e ansiedade exacerbados por causa da covid-19”, compartilhou Julieta.


Julieta também foi encorajada por suas visitas contínuas com Jamila, que está compartilhando sua fé com os outros por meio das redes sociais durante esse tempo.


Enviado para fora


"Só sabíamos sobre receber missionários", compartilhou Julieta sobre sua igreja na América do Sul enquanto crescia. "Nós não tínhamos essa visão de ir."


Nascida com um problema cardíaco, Julieta cresceu com seus pais dizendo a ela: "Sua vida está nas mãos de Deus." "Eu tinha um problema físico que me segurava, mas Deus me permitiu viver plenamente e fazer coisas que eu achava impossíveis na minha situação", disse Julieta. "Eu cresci com profunda fé Nele."


Depois de ver uma criança de nove anos aceitar a Cristo, entregar sua vida a ele, em um acampamento de jovens, quando era adolescente, Julieta sentiu a vontade de compartilhar o que Deus tinha feito por ela e percebeu que era seu propósito na vida compartilhar as boas novas com os outros. Junto com sua irmã, ela foi de porta em porta em sua cidade, convidando crianças e suas famílias para um programa de evangelismo em um parque.


Enquanto frequentava a Escola da Bíblia nos EUA, Julieta conheceu missionários servindo no mundo muçulmano e sentiu todo seu foco na mudança de vida para se preparar para ir sozinha. Um ano depois, quando ela voltou para seu país natal, uma oportunidade se apresentou para ensinar música e inglês, em uma escola internacional na Ásia Central, e servir ao lado de uma equipe de criação de igrejas.


Muitas pessoas não apoiaram a mudança de Julieta para o exterior. Ela não se importava com seu próprio país? E as pessoas na cidade dela que ainda precisavam ouvir as boas notícias? Além disso, Julieta estaria se mudando para um país que eles conheciam pouco - ou nada – sobre ele!


Dentro de um mês, no entanto, Julieta estava a caminho do Atlântico como a primeira missionária enviada por sua igreja.


Na Ásia Central, Deus a fez conhecer alguém que tinha a mesma visão [para alcançar o mundo muçulmano], e Julieta se casou. Hoje, seu marido, e seus dois filhos, vivem intencionalmente para Cristo na Ásia Ocidental.


*Nomes alterados por motivo de segurança


Tradução por Orlando Silva

Revisado por Eunice L. Amaro

NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org