• OM International

Servindo à mesa deles


#ReinoUnido Há apenas quatro meses, cerca de 50 pessoas frequentavam a igreja de língua turca que Deniz, que é um obreiro da OM em Londres, lidera. Desde que o Reino Unido entrou em confinamento para conter a propagação da COVID-19, até 1.600 pessoas sintonizaram o serviço transmitido ao vivo todos os domingos. Deniz diz: "Esta é uma das maiores oportunidades que temos para alcançar pessoas não alcançadas com o evangelho. Nunca estive tão ocupado com telefonemas, novas mídias sociais, escrever e gravar sessões on-line."


A maioria das pessoas não pensa no Reino Unido como não alcançado", explica Deniz. No entanto, há milhares de turcos, no Reino Unido, que não conhecem o amor de Cristo. Ter uma população tão significativa de pessoas não alcançadas no Reino Unido representa uma grande oportunidade para compartilhar o evangelho. Dito isto, obreiros como Deniz estão encontrando alguns obstáculos. Como muitos membros da comunidade turca falam inglês precariamente, eles têm dificuldades para encontrar empregos que paguem um salário justo e onde não sejam forçados a trabalhar horas extras para se sustentarem. "Eles trabalham até 12 horas por dia e, às vezes, sete dias por semana", diz Deniz. Isso deixa pouco tempo para descanso, muito menos para a vida espiritual e crescimento.


Há desafios entre os crentes turcos também. Deniz descobriu que muitas pessoas que vêm para o Reino Unido como cristãos vêm de origens teológicas instáveis. Embora os crentes não devessem mais seguir falsos ensinamentos, equívocos profundamente enraizados podem significar que eles são incapazes de se sustentar espiritualmente e podem ser muito dependentes de obreiros estrangeiros.


"Então, o que estamos fazendo é tentar instruí-los e incentivá-los a estudar as Escrituras por si mesmos, para que eles sejam capazes de ensinar os outros", diz Deniz.


Ele diz que vários grupos de compartilhamento turcos se reúnem regularmente, em cinco igrejas, e outros grupos domésticos estão começando. Apesar dos obstáculos, os obreiros viram o evangelho mudar a vida de crentes e descrentes.


"Acho que muitos deles são pessoas que desejam conhecer Deus e ver como isso pode mudar sua vida", diz Deniz. "Havia uma senhora muçulmana que veio [ao nosso grupo] por oito meses depois que viu Jesus em um sonho. Ela aceitou Cristo! Foi uma verdadeira alegria para nós. Agora ela traz outra amiga que é muçulmana, que ainda não aceitou Cristo, mas ela tem vindo há oito semanas."


Formatados por Deus


O próprio testemunho de Deniz é um lembrete da fidelidade de Deus em trabalhar até mesmo nos menores ministérios. "A chave para eu ter fé em Jesus eram as pessoas ao meu redor.", ele compartilha. Criado em uma família nominalmente muçulmana, Deniz foi apresentado, pela primeira vez, a Jesus quando criança , por uma menina de 15 anos que liderava estudos bíblicos para seus pares em seu porão. Ele viu a vibração de sua fé em Jesus e queria conhecê-lo por si mesmo, até o ponto de não poder mais voltar atrás em sua decisão de seguir a Deus. Mais tarde, o ministério na prisão, na Bulgária (onde ele cresceu), e um encontro com um prisioneiro o fizeram perceber que ele queria ser mais atuante em compartilhar sua fé.


"Então você percebe que as pessoas vêm à fé de maneiras muito diferentes, e vemos como Deus as molda", diz, ele.


O trabalho entre os turcos pode ser lento, segundo Deniz, leva muito tempo, energia e visitas às pessoas. Ainda há muito trabalho a ser feito, e muitos ainda não ouviram o evangelho, mas Deus ama muito o povo turco, e eles não são esquecidos.


Época de novas possiblidades


Cheio de esperanças, Deniz entende esse momento como uma tempo de novas possibilidades dentro da comunidade turca que ele serve. No Reino Unido, os edifícios da igreja estão fechados desde março e estão apenas começando a reabrir ao público, agora, dentro dos parâmetros de distanciamento social. Pode ser tentador ver esses últimos meses com perdidos para a igreja, mas Deniz é humilde e exulta ao ver que a igreja da qual ele faz parte está prosperando.


"A fome que as pessoas têm por Cristo no momento é fascinante.", compartilha ele, observando que muitos na comunidade turca estão procurando um sentido para a vida de uma maneira mais urgente e genuína. "Podemos ajudar as pessoas a ver o que é importante no viver e para onde elas estão indo espiritualmente em suas vidas."


"É triste que não possamos nos encontrar pessoalmente", diz Deniz, reconhecendo o valor imensurável da conexão física, “ Por outro lado, as pessoas estão fazendo perguntas e estamos conectados a mais indivíduos do que normalmente estaríamos. Muitas pessoas passaram meses em casa e tiveram mais tempo para se envolver com as coisas on-line, incluindo não-crentes e, às vezes, famílias inteiras.”


Ao lado dos serviços transmitidos ao vivo, Deniz tem desenvolvido estudos bíblicos por vídeo-chamada para se conectar com aqueles que têm dúvidas e querem saber mais, fazendo chamadas pessoais, sempre que possível. "Houve um rapaz com quem conversei ao telefone por mais de uma hora um dia", lembra Deniz. "Ele tinha se mudado para a Inglaterra e percebeu que sua vida era apenas trabalho, trabalho, trabalho. Ele estava se perguntando: 'o que estou fazendo aqui?' e fez muitas perguntas sobre minha fé em Deus."


Deniz fica surpreso ao descobrir que ele tem uma demanda constante, e crescente, por essas conversas, ou seja, pessoas buscando a verdade e fazendo perguntas. Ele, agora, tem quatro novos crentes querendo serem batizados. "Eu sei que Deus está ao nosso lado nessa situação desafiadora.", compartilha ele com confiança.


Enquanto a vida em meio à COVID-19 continua, Deniz persevera em seu chamado para alcançar as pessoas onde elas estão. A forma como isso se manifesta está mudando constantemente. Depois de tantos meses, as pessoas estão cansadas de reuniões de vídeo, mas, agora, há mais oportunidades de ir e se encontrar com as pessoas, mantendo distância social. Deniz viajou recentemente 80 km para se encontrar com um homem turco que queria vir a Cristo e orar com outro crente pessoalmente.


"Não estou convidando as pessoas para virem à minha mesa", explica ele, "Ao contrário, eu que vou servi-los nas suas mesas."


A OM está em campanha no mundo inteiro para trazer socorro por impactos causados pelo COVID-19. Sua oferta e orações são muito bem-vindas e necessárias. Acesse www.om.org.br/covid para ofertar para campos em necessidade imediata.

Tradução por Orlando Silva

Revisado por Eunice L. Amaro

Texto original aqui.

NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org