• OM International

Para mim, Jesus é vida


#OrientePróximo “Eu costumava me ver dividindo o evangelho com muitas pessoas, e elas vinham à Cristo. Esses eram os tipos de sonho que eu tinha quando era criança,” disse Sarah.


Hoje, Sarah não só atende necessidades médicas com seu trabalho como farmacêutica, mas também serve no ministério ao lado do seu marido. “Nós dois temos o desejo de alcançar nossa comunidade e ver os jovens terem também esse desejo de alcançar aqueles ao seu redor.


Nas igrejas tradicionais em seu país, de maioria muçulmana, as pessoas têm medo de alcançar a comunidade, ou lhes falta conhecimento para fazer isso da maneira certa. “Muitos cristãos aqui nunca viram ninguém evangelizando, então não sabem como fazer isso. Além disso, nunca ouviram histórias de conversão, e por isso há um grande abismo entre a igreja e cristão que têm berço muçulmano,” ela expressou. Sarah quer ver mais cristão carregando a responsabilidade de alcançar vizinhos muçulmanos, terem contato com cristãos de berço muçulmano e aprenderem a dividir o amor de Deus com aqueles que não o conhecem.


“Para mim, Jesus é vida. Conhecê-lo é tudo, e eu quero fazê-lo conhecido pelos outros,” ela disse.


Conhecendo Jesus


Sarah cresceu em uma família cristão tradicional, parte de um pequeno corpo de cristãos em seu país. Ela aceitou a cristo aos sete anos de idade, e ficava impressionada com a força, fé e paixão da sua mãe pelo evangelismo. Isso estimulou Sarah a falar do evangelho em sua escola, o que acabou custando a ela muitos amigos. Quando chegou à adolescência, ela passou muito tempo com amigos que foram má influência. Seus problemas familiares e pessoais fizeram-na afastar-se de Deus, até que um dia, lendo o salmo 23, ela chorou clamando a Deus. “Eu pedi a Ele para revelar-se para mim, e depois disso, eu vi meus problemas familiares diminuirem,” compartilhou Sarah.


Ainda assim, não foi antes do seu pai proibí-la de ir a qualquer lugar a não ser a escola e o grupo de jovens da igreja, que sua fé experimentou um novo começo. “Sabe, quando a luz entra nas trevas, você não pode permanecer o mesmo. Eu fui impactada por ver pessoas no grupo de jovens vivendo sua fé, e Deus usou isso para transformar meu coração,” ela disse.


A partir dali, Sarah e alguns primos crescerem juntos na fé. Quando chegaram à universidade, seu desejo de conhecer a Deus evoluiu para fazê-Lo conhecido. “Começamos a ter estudos bíblicos, e através do entendimento da palavra de Deus, quisemos fazer alguma coisa por Seu Reino,” ela expressou. Sarah queria servir no ministério de jovens, uma vez em que observou a necessidade de dar a eles apoio espiritual. “Quando eu era adolescente, a não ser por minha mãe, eu não tinha um mentor espiritual, então quis dar aos jovens a oportunidade de ter isso. Também passei muito tempo discipulando minha irmã mais nova, só nós duas,” disse Sarah.


Tornando Jesus conhecido


Sarah estudou farmácia na universidade, entendendo que essa era uma boa maneira de ajudar a sua comunidade. Enquanto terminava seu mestrado, ela soube da oportunidade de partir em uma missão de curto prazo para a África, e sentiu que Deus a impulsionava pra ir. “Eu precisei realmente confiar que isso vinha de Deus, porque eu não tinha condições financeiras e meu pai não queria deixar que eu fosse. Eu disse a Deus que se Ele me queria lá, eu precisava também do apoio do meu pai, enquanto meu pastor já estava me incentivando,” ela compartilhou. Sarah abriu seu coração para seu pai e alegrou- se muito quando ele lhe deu permissão para ir. Quando os recursos apareceram, Sarah sabia que era da vontade de Deus.


Ela foi para a África quando terminou seu mestrado, e sabia que isso era uma pequena parte da sua jornada pessoal e profissional, enquanto Deus confirmava seu chamado para servir em seu país de maioria muçulmana. Sarah compartilhou: “ir para a África era a respeito de colocar minha vida no altar de Deus diariamente. Seguir a Deus vale a pena, porque Ele é meu maior tesouro e nunca vai me deixar.”


Quando Sarah voltou da África, começou a lecionar em meio período na universidade, e continuou servindo no ministério jovem. Mesmo tendo o desejo de servir a Deus com sua qualificação como farmacêutica, ela não sabia que era algo que que realmente podia ser feito até que foi à uma conferência de médicos cristãos, onde eles compartilhavam sobre como usavam seus talentos para o serviço ministerial. “Isso foi uma grande surpresa para mim, e Deus abriu meus olhos para ver que posso fazer ambas as coisas,” disse Sarah.


Sarah foi, então, apresentada a um grupo de médicos cristãos que serviam em seu país, que estavam procurando por alguém com suas habilidades. Ela sentiu apenas paz e alegria durante sua entrevista, e seu sonho de construir o Reino de Deus como farmacêutica tornou-se realidade. Sarah tem trabalhado com o grupo desde 2016, à frente de várias clínicas abertas em igrejas. De dias clinicando até visitas domiciliares, Sarah e sua equipe tiveram muitas oportunidades de prestar auxílio médico e ter conversas espirituais através dos relacionamentos que construíram. “Muitas das pessoas às quais servimos expresam sempre sua confiança em nós, por causa da nossa compaixão e da forma como conduzimos a clínica,” ela compartilhou.


Traduzido por Renato Alt

Revisado por Liliane Nascimento

Texto original aqui.

NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org