• OM International

Orando pela promessa de Deus


#Austria A equipe da OM perto, de Viena, Áustria, tem sido uma potência para a publicação da literatura cristã desde seus primeiros dias, quando os obreiros contrabandeavam Bíblias, rompendo a Cortina de Ferro. Nem sempre , porém, o centro foi bem equipado. "Muitas vezes tínhamos escassez de pessoas", disse Hanna Keller, da Suíça, que se juntou à equipe com seu marido, Edwin, em 1991. "Eu me lembro que, em cada boletim, eu tinha que escrever: 'Estamos aquém disso; estamos aquém daquilo; precisamos de pessoas aqui.' Havia se tornado tão cansativo só escrever sobre isso”.


Em 2007, sem várias posições-chave, a equipe decidiu orar e jejuar por uma semana. Entre outras vagas importantes, eles precisavam de um contador para cuidar do dinheiro que circulava pelo ministério focado na produção e venda da literatura. "Depois de uma semana, Deus me respondeu com as Escrituras", lembrou Hanna. “O registro da Igreja coletando dinheiro para Jerusalém, em 2 Coríntios 8:3-4, surgiu para mim, e eu sabia que aquele era a resposta de Deus", disse ela. "Ele vai prover pessoas para a nossa equipe inteiramente por conta própria. Era como se Deus estivesse dizendo: 'Relaxe! Eu vou enviar pessoas para vocês, pessoas que vão ver isso como um privilégio, vão estar na equipe porque eles deram suas vidas a Deus e depois deram suas vidas à nossa obra particular'".


Hanna compartilhou sua visão com a equipe, mas não foi bem recebida. "As pessoas não acreditavam que Deus significasse isso literalmente... e tudo o que eu podia dizer foi :'Eu só sei que ele falou comigo'", disse ela. No início, ela continuou a tocar no assunto nas reuniões subsequentes e a orar baseada no verso que diz "mas entristeceu-me que não ressoasse com o povo", lembrou. Então ela começou uma jornada pessoal de confiar em Deus e, silenciosamente, orar pelo cumprimento da promessa que ele lhe tinha dado.


Confiança até o ponto de ruptura


Eventualmente, a necessidade de um novo contador chegou a um ponto crítico. Sabíamos que, se não tivéssemos um contador, basicamente teríamos que fazer as malas", compartilhou Hanna. Naquela época, Edwin estava liderando o ministério e tinha sido desafiado a confiar em Deus "até o ponto de ruptura", descreveu Hanna. "Ele disse: 'Eu não vou recrutar um contador', e todas as pessoas apenas balançaram a cabeça. Ele disse: 'Eu não vou recrutar, vou acreditar na promessa que Deus deu à minha esposa, ele vai fazer isso'".


Encorajada pela decisão de seu marido, a própria Hanna meditando em outro verso, Jeremias 1:12 , no qual Senhor diz: "Estou esperando para ver que minha palavra seja cumprida" (NIV). Isso me deu muita confiança", disse ela. "Aprendi que é muito poderoso orar a Palavra de Deus".


Em sete anos orando pela equipe, Hanna viu algumas pessoas novas adicionadas à equipe, mas o ministério permaneceu sem pessoal suficiente. Então, em 2014, um artista gráfico dos EUA descobriu a equipe na internet e "simplesmente se apaixonou pela obra", descreveu Hanna . Esse designer ainda trabalha com a equipe hoje. Em agosto do mesmo ano, um contador aposentado da Finlândia "apareceu sozinho e queria servir a equipe", compartilhou Hanna. "Ele ainda é nosso contador".


Nos anos seguintes, membros adicionais da equipe começaram a se juntar a pessoas que ninguém havia recrutado, mas que tinham descoberto sobre a oportunidade de servir na Áustria com as habilidades que Deus lhes havia dado . Quando Edwin chegou ao fim de seu segundo mandato de quatro anos de liderança, ele e Hanna sentiram Deus chamando-os para um ano sabático. Oito meses depois de lançar o comitê de busca, ele entregou a equipe a um substituto capaz : David Fry . "Ele vem da mídia e é um homem muito capaz, inteligente e sábio, que vem com uma riqueza de experiências. Mais uma vez, ele estava procurando um novo desafio, e foi nada mais que um ajuste perfeito", compartilhou Hanna.


Em licença sabática, desde 1 de janeiro de 2020, Hanna continua pedindo a Deus que envie mais pessoas para servir. "Um dia, um dos líderes me escreveu e disse: 'Hanna, estamos assistindo à realização do que Deus lhe disse'. Quase somos atropelados por pessoas que querem trabalhar com a gente", disse ela. Nove membros da equipe participaram da conferência 2020 para novos trabalhadores da OM em agosto de 2020 , o máximo que a equipe já havia recebido em uma permanência por um longo tempo.


Recentemente, alguém da equipe desculpou-se com Hanna por não ter acreditado no que Deus havia dito a ela. "Para mim, tudo bem. Não tenho ressentimentos por ninguém", explicou Hanna. "Eu tive o suficiente para fazer com meu próprio coração para permanecer fiel ao que Deus me deu e ser fiel. E Deus fez crescer minha fé e minha confiança, especialmente no tempo em que eu tive que ficar sozinha”.


Vidas no altar


Durante seu ano sabático, Hanna e Edwin estão usando o tempo para construir uma relação mais profunda com Deus à medida que descobrem os próximos passos que ele preparou para eles. "Colocamos nossas vidas no altar e dissemos: 'Aqui estamos nós. Queremos servir onde o Senhor precisar que a gente esteja', e esse desejo se fortaleceu neste ano", afirmou Hanna.


Hanna cresceu em um campo de missões no sudeste da Ásia e viu a dedicação de seus pais em servir a Deus, por isso foi fácil para ela seguir em missões. Embora ela tenha sido batizada quando bebê e dado sua vida a Jesus aos sete anos, Hanna disse que a maior luta espiritual veio quando ela tinha 22 anos. "Deus estava realmente lutando comigo e perguntando: 'Posso ter você completamente? Você vai ser minha completamente?'", disse ela. Quando ela entregou toda a sua vida a Deus, ela escolheu ser batizada novamente "porque eu senti que eu vinha por meio desse processo de colocar minha vida no altar e dizer 'Eu sou completamente sua'".


Ainda assim, quando Edwin, um mecânico treinado, e Hanna, uma enfermeira treinada, procuraram oportunidades para servir em missões, as coisas não foram muito simples. "Tivemos entrevistas com diferentes organizações de missões, e foi estranho. Eles tinham objetivos diferentes dos nossos. ‘Você tem que fazer isso antes de poder servir'. Não era a

gente", explicou Hanna. Frustrados, eles disseram a Deus: "Se o Senhor nos quer em missão, o Senhor tem que nos dar uma pista." Naquela mesma semana, chegou uma carta da equipe OM da Áustria, dizendo "Acreditamos que vocês são as pessoas certas para nós".


Surpresos com a localização, o casal, no entanto, reconheceu o chamado claro de Deus. Com o tempo, seus papéis com a equipe evoluíram, da mecânica à liderança e do desenvolvimento de fontes ao cuidado das pessoas. "Somos um projeto em andamento, e Deus sempre continua nos mostrando níveis mais profundos das coisas, e ele quer expandir nossa fé e nossa confiança.", explicou Hanna.


Os crentes, muitas vezes, trazem suas próprias vontades para a oração, ela disse. "Queremos que as coisas aconteçam da maneira que achamos que devem acontecer.". Mas ela aprendeu que a oração que Jesus ensinou aos seus discípulos- “Sua vontade seja feita na terra como é no céu.”- "é extremamente poderosa... para alinhar minha visão das coisas à vontade de Deus".


“Temos que nos render até mesmo ao seu prazo. Ele me deu essa palavra [sobre novos membros da equipe em 2007]. Foram sete anos nos quais tentamos ser fiéis ao que ele nos deu, embora houvesse apenas sinais fracos de realização, porque ainda tínhamos necessidades de pessoal. Agora, 13 anos depois, e Deus está multiplicando nossos sonhos e projetos. Às vezes, jogamos a toalha facilmente e dizemos que Deus não respondeu às nossas preces. Se ele deu uma palavra, ele vai cumpri-la, mas eu tenho que me submeter ao como e quando. É assim que ele age".


Tradução por Orlando Silva

Revisado por Eunice L. Amaro

NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org