• OM International

Enxergando crescimento nos momentos difíceis


#Madagascar O novo coronavírus se espalhou mundo fora em 2020, sem poupar lugar algum, inclusive a região de Androy, no sul de Madagascar. Ainda que a área não tenha casos de Covid, a vida é impactada enquanto restrições de locomoção estavam em vigor e as escolas fecharam até meados de outubro, enquanto o preço do arroz (principal alimento do país) quase dobrou.


Deborah, do Reino Unido, mudou-se para a capital da região de Androy, Ambovombe, no final de 2019. Ela investiu tempo para acostumar-se com a ruralidade do sul, lindando com questões como água limitada (ou nenhuma) e doenças derivadas da comida e bebida, além de aprender o dialeto local de Malgaxe.


Conversando com alguns adoescentes antes de uma programação para jovens, Deborah compartilhou com eles sua visão para alcançar as crianças das aldeias com o evangelho. Três dos jovens, uma menina e dois rapazes, expressaram interesse em serem treinados.


Deborah começou a treinar os voluntários e começou um Kid’s club na base da OM, para 15 crianças, duas vezes por semana, para que os três voluntários pudessem aprender na prática. A menina já tinha alguma experiência por frequentar a escola dominical na cidade, enquanto os dois rapazes nunca haviam feito parte de um ministério infantil, mas compensaram isso com sua vontade de aprender.


Quando não foi mais permitida a reunião dos grupos, para ajudar na contenção do coronavírus, o Kid’s Club também precisou fechar. Enquanto medo e desinformação a respeito do vírus se espalhavam, Deborah também se preocupava com sua família no Reino Unido, e continuou a lutar com sua própria saúde.


Sim, “foi bem quando todas essas coisas difíceis estavam acontecendo que o Kid’s Club começava a crescer”, Deborah compartilha. “Enquanto eu enfrentava todos esses desafios, tínhamos dois novos Kid’s Clubs começando nas aldeias. Os rapazes começaram a sair para evangelizar as crianças, então eu pensei “bom, eu posso estar enfrentando um momento difícil, mas Deus pode muito bem usar esse tempo.”


Crianças precisam de tempo para serem crianças


Com nenhuma restrição quanto a reunir fora da cidade, os dois rapazes voltaram para sua vila e começaram um Kid’s Club.


“É bem fácil desde que você toque uma música que inclua coreografia ou jogue algum jogo, assim as crianças ficam animadas para participar,” Deborah explicou. “Mas o problema pode ser, na verdade, encontrar uma hora que as crianças possam se reunir, porque elas estão sempre ocupadas.”


“Na aldeia, os meninos saem com os bodes e vacas, e as meninas casam muito cedo ou estão ajudando suas mães na limpeza e outras coisas.”


Os líderes perceberam que a maneira mais fácil de conseguir que as crianças participassem das reuniões era segurá-las imediatamente depois do estudo bíblico para adultos, porque as crianças estão geralmente acompanhadas dos pais.


As reuniões para crianças são muito diferentes das reuniões para adultos, no entanto. Elas incluem jogos, música e história em um nível que elas conseguem entender, de maneira que cada uma possa construir uma relação pessoal com Cristo. “As crianças sentem que há algo especial só para elas,” disse Deborah.


“Acredito que a mudança que está acontecendo na mentalidade dessas crianças pode ajudar na evangelização,” disse Deborah. “Elas podem ajudar a compartilhar sobre Deus, sendo que antes as crianças apenas ouviam junto com seus pais ou adormeciam.”


Deborah continua a mentoriar e encorajar os jovens adultos para colocar em prática o que aprenderam no compartilhamento das Boas Novas para crianças e também a encontrar alguém para treinarem para o ministério e para trabalhar junto com eles.


Desde bem novos


“Eu me tornei uma cristã quando tinha quatro anos, na mesa de café da manhã,” disse Deborah. “Eu vi que meus pais tinham Deus como um amigo, e queria aquilo para mim.” Deborah ouviu Deus dizer que ela compartilharia do evangelho na África, quando tinha essa mesma idade, “então essa parte da minha vida não foi uma surpresa.”


Depois do ensino médio, Deborah tirou um ano sabático e seguiu para um programa em Moçambique, para descobrir em que parte da África Deus a queria e como usar seus talentos para dividir Seu amor.


Foi lá que Deborah viu a necessidade de treinar a igreja africana a evangelizar crianças, já que frequentemente elas não tinham programação para a geração mais jovem.


“As pessoas muitas vezes entendem que ser criança é um período de espera, mas eu sei que elas podem ser usadas por Deus de maneiras maravilhosas enquanto ainda são jovens,” Deborah disse. “Nós precisamos de pessoas que possam discipular e treinar crianças.”


“Para mim, não existe nada melhor do que ver crianças que sabem que são amadas, podem ouvir falar de Deus e estão aprendendo a viver de uma maneira centrada em Cristo, antes que tenham uma influência grande demais do mundo. Precisamos discipular as crianças, não só contar histórias de quem é Jesus e aí esperar que envelheçam para ir mais a fundo.”


Retornando para o Reino Unido, Deborah começou a buscar oportunidades para voltar para o continente que Deus colocou em seu coração. Quando ela e seu pais encontraram a mesma oportunidade online, no mesmo dia, ela sabia que havia encontrado seu destino: Madagascar.


A OM está em campanha no mundo inteiro para trazer socorro por impactos causados pelo COVID-19. Sua oferta e orações são muito bem-vindas e necessárias. Acesse www.om.org.br/covid para ofertar para campos em necessidade imediata.


Tradução por Renato Alt

Revisado por Liliane Nascimento

Texto original aqui.

Posts recentes

Ver tudo

NOTÍCIAS

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9

Conta 20.311-4

(12) 3945-0047 • comunicacao.br@om.org

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org