• OM International

Distanciamento social desperta o espírito comunitário


#Bélgica Ribka e Boyd, e suas três crianças, uma família Australiana, vivem em uma vila quieta perto de Zaventem, na Bélgica. Agora, está ainda mais quieta, já que os aviões de Bruxelas pararam de voar ali por cima, por causa do lockdown provocado pelo corona vírus. Numa noite, às 20h, a família ouviu seus vizinhos aplaudindo e festejando do lado de fora – uma coisa muito inesperada para aquela rua suburbana. “A gente demorou um pouco até entender que eles estavam agradecendo aos profissionais de saúde,” disse Ribka. “Nós nos juntamos a eles, e depois outra casa veio, e mais outra, até que éramos mais ou menos seis casas.”


Forçados a reclusão em suas casas por causa da pandemia, os vizinhos começaram a tirar o máximo proveito de poder cumprimentar e acenar para os outros, de longe. “Se tornou uma chance de dizer ‘olá’ para aqueles que não vemos normalmente, e ter certeza de que estão todos bem,” Ribka explicou. O tempo de crise e isolamento despertou um desejo de estar conectado de formas que ainda são possíveis. “Nós nunca vivemos um momento como esse em nossa comunidade antes!” disse Ribka, muito alegre.


Ribka e Boyd mudaram-se para a Bélgica dois anos atrás para começar o novo centro de oração da OM, na cidade de Zaventem, bem próxima, onde conduzem a oração e os louvores. “Assim que chegamos, seria muito estranho bater na porta dos vizinhos para nos apresentarmos,” disse Ribka. Este ano, motivados por uma imensa vontade de interagir, Ribka e Boyd enviaram cartões de Páscoa para seus vizinhos. Eles se apresentaram como a família australiana e desejaram a todos as bênçãos de Deus, de paz e esperança. Alguns dias depois, a família recebeu cartões e um presente. “Ficamos encorajados quando percebemos o quanto estavam abertos a receber um presente e presentear de volta,” disse Ribka. Depois de pensar de que outras formas poderiam contribuir, decidiram que Boyd poderia dividir seu talento para cantar e tocar violão, fazendo um concerto na varanda. Eles enviaram folhetos para que todo mundo por ali soubesse do evento.


Às 19h da sexta-feira, depois da Páscoa, Boyd preparou seu microfone e caixa de som em sua varanda. “Eu estava nervoso porque eu não tinha bem certeza se alguém se importaria em vir para fora e assistir, já que não tivemos retorno nenhum sobre os folhetos,” disse Boyd. No entanto, depois de poucos minutos testando o som, as pessoas começaram a aparecer na frente das suas casas e nas ruas de trás. “Algumas pessoas trouxeram cadeiras de picnic, outras ficaram nas ruas mesmo e ciclistas pararam para ouvir,” disse Ribka.


“Eu diria que sou um músico pastoral,” explicou Boyd. “Meu coração sempre foi encorajador, então escolhi canções encorajadoras para aquele evento.” Boyd cantou duas canções e também músicas próprias, com temas relevantes, como apoiar uns aos outros e sobre o que significa estar longe daqueles que amamos. “Eu queria que nos encorajássemos uns aos outros como vizinhos, em como podemos nos ajudar e fortalecer as relações para além deste tempo,” disse ele.


“Muitas das minhas músicas são orações e praticamente todas foram escritas no contexto cristão,” disse Boyd. Ele acredita que se os indivíduos têm ouvidos para ouvir, eles ouvirão o que o Espírito está dizendo através das suas canções. “Sempre antes dessas experiências eu peço que possamos dar espaço para a glória de Deus e que, apesar de mim, Ele possa trabalhar através de mim,” continuou Boyd.


Depois de meia hora, aqueles que estavam ali ouvindo não queriam ir embora, e continuaram lá por mais 20 minutos. “Eu realmente gostei muito de ver as pessoas chegando tão perto quanto possível, mantendo distância,” enfatizou Boyd. “Eu gostei de ver o espírito da comunidade, com as pessoas respondendo umas às outras tanto quanto à música.”


Ribka falou à respeito do quanto as pessoas na Bélgica estão alarmadas pelo número de mortos pelo novo corona vírus. “Estamos procurando formas de demonstrar esperança mesmo em meio a tudo isso,” disse ela. O concerto na varanda criou um ambiente e uma atmosfera para quietude e contemplação. Depois, um dos vizinhos trouxe um presente como agradecimento, e disse que as letras das músicas foram inspiradoras.


“Pelas respostas das pessoas, senti que apreciaram poder pensar sobre toda essa situação e sobre a vida,” refletiu Boyd. “Não foi uma coisa só para passar o tempo, como se nada estivesse acontecendo. Continuamos a orar para que Deus esteja ministrando sobre as pessoas em suas casas, nesse tempo.”


Agradecidos pelas oportunidades de se conectarem às pessoas mesmo mantendo distanciamento social, Ribka e Boyd estão ansiosos para ter novas conversas, seguidas por convites para jantar, e desenvolver relacionamentos mais profundos quando essas restrições forem suspensas. “Nós adoraríamos receber convidados ou organizar festas na rua,” disse Ribka, com entusiasmo. “Esperamos manter esse espírito de comunidade!”


A OM está em campanha no mundo inteiro para trazer socorro por impactos causados pelo COVID-19. Sua oferta e orações são muito bem-vindas e necessárias. Acesse www.om.org.br/covid para ofertar para campos em necessidade imediata.

Tradução por Renato Alt

Revisado por Liliane Nascimento

NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org