De mãos dadas


#Israel Ranya*, uma trabalhadora de longo prazo em Israel, juntou-se ao programa de curto prazo Voices in the Wilderness (Vozes no deserto), por um dia, enquanto a equipe caminhava do Monte Arbel para Ginosar. Olhando para baixo, do topo da montanha, eles viram uma bela vista do Mar da Galileia e da cidade ao redor. "Foi aqui que os milagres aconteceram!" Ranya pensou. Mal sabia ela que Deus usaria aquela caminhada para mostrar a ela que ele ainda estava trabalhando na Terra Santa.


Enquanto o grupo descia o Monte Arbel, eles podiam ver uma pequena vila. O líder da caminhada tinha apontado para a aldeia do topo da montanha, e ele notou que a cidade parecia deserta e que não havia ninguém nas ruas. Ele mostrou à equipe a única mesquita no meio da cidade. Ranya percebeu que, como uma equipe, ninguém da OM tinha feito qualquer evangelismo naquela pequena cidade, mas ela estava pronta para continuar com sua caminhada. Em vez disso, o líder da caminhada parou o grupo e os fez sentar no meio da trilha e, enquanto olhavam a cidade, oraram por uma boa acolhida. Depois da oração, eles continuaram sua caminhada.


Portas abertas na vila


Um mês depois Ranya recebeu um e-mail de um participante de curto prazo, perguntando se ela estaria disposta a visitar uma senhora muçulmana que os tinham recebido em sua casa, durante a campanha de evangelização em Israel. A equipe do HOI tinha dado um Novo Testamento a ela e queriam se comunicar com ela por meio de um crente local, antes que voltassem para seus países.


Ranya visitou a mulher junto com a equipe de três participantes do HOI, que já tinha estado na casa dessa mulher. Para surpresa de Ranya, quando eles chegaram à aldeia, essa era a mesma vila para a qual eles tinham orado do topo do Monte Arbel.


A mulher da aldeia acolheu o grupo, e quando lhe perguntaram se ela havia lido o Novo Testamento, ela respondeu: "Eu sei a diferença entre o Cristianismo e o Islã. Os cristãos acreditam em seu coração, novo nascimento e fé no coração, mas o Islã é tudo sobre fazer e trabalhar."