• OM International

Adotada duas vezes


#Albânia Whitney Peck percorreu um longo caminho desde o lugar que ela chamava de lar, uma pequena cidade no Kansas, EUA. Sua jornada de vida para conhecer Deus e seu amor começou muito jovem, já que ela foi adotada, com cinco semanas de idade, por uma família cristã. Ela nunca pensou que, quando jovem, estaria compartilhando sua paixão por adorar a Deus por meio da música com outras pessoas na Albânia.


Enquanto crescia, Whitney era conhecida como "a garota cristã" que sempre ia à igreja. Um momento crucial em sua vida espiritual veio enquanto estava no ensino médio, durante uma viagem de missões à Coreia do Sul com sua mãe. Lá, elas trabalhavam em um orfanato que tinha dezenas de bebês vestidos de forma semelhante em um quarto pequeno. Ela percebeu que ela não havia sido escolhida apenas por seus pais adotivos, mas também por Deus para ser sua filha. "Eu sou uma pessoa", lembrou ela. "Ele me ama pelo que eu sou."


Whitney sorri, lembrando-se do presente que sua mãe lhe deu no final do programa de evangelismo: uma camiseta na qual estavam escritas palavras poderosas: "Adotada duas vezes." "Por causa dessa viagem de missões, eu percebi que Deus era muito mais do que alguém para quem cantávamos aos domingos. Ele era mais do que apenas um deus, mais do que uma religião."


Na adolescência, Whitney leu vários livros de missões, amando a ideia de encontrar diferentes culturas. Ela também sempre gostou de cantar e de música. Em seu último ano de ensino médio, Whitney foi para o Brasil em uma campanha evangelística. Em um culto com brasileiros, cantando em português, e a equipe de divulgação cantando em inglês, ela tinha uma percepção de que todos eles estavam cantando as mesmas canções para o mesmo Deus. Não precisava de tradução. "Você pode encontrar alegria na música mesmo que não entenda as palavras", lembrou ela. "A música une as pessoas."


Um corpo


Durante uma aula em seu último ano de universidade onde estudou música, Whitney viu um vídeo da Heart Sounds International, um ministério da OM focado em música, artes e mídia. Quinze minutos após o término da aula, ela se inscreveu por dois anos na OM. Pouco depois da formatura, a jovem musicista foi para a Albânia, um país sobre o qual ela nunca tinha ouvido falar.


Enquanto viveu em uma vila albanesa por um ano, Whitney viu, em primeira mão, como algumas pequenas igrejas lutam com o aspecto musical do louvor. Desde que a Albânia saiu do comunismo, no início da década de 1990, o país não tinha uma traducão de canções cristãs. As canções de louvor inglesa embora traduzidas, nem sempre correspondem à língua albanesa e são interpretadas de forma diferente pelas igrejas.


Eu cria que haveria mais conexão dentro das igrejas se elas pudessem se unir e cantar as mesmas canções de louvor como um só corpo", disse Whitney. A jovem músicista viu a necessidade de ensinar música para que as igrejas pudessem ser mais vibrantes. Ela, agora, ensina as pessoas a compor músicas para os cristãos locais para que a alma albanesa se reflita em seu louvor.


Usando suas habilidades para tocar piano e cantar, Whitney começou a lecionar, em 2019, em uma escola de adoração em Tirana, capital da Albânia. Lá, onde começaram uma escola de música há três anos, ela trabalha ao lado de albaneses locais que compartilham a mesma paixão por música. Juntos, eles se concentram na adoração bíblica e no ensino do lado musical prático do louvor a músicos, aspirantes a músicos e líderes de louvor.


Os 28 alunos para quem ela deu aula em 2019 foram mais receptivos do que o esperado. "Eles estavam com fome de aprender tanto quanto estávamos animados para ensinar", lembrou Whitney. Todos os meses os funcionários começaram a organizar noites de adoração que alcançaram muito além dos 28 alunos. Há também um acampamento de adoração anual do qual Whitney foi capaz de fazer parte no ano passado. Este ano, ele foi cancelado por causa da pandemia da COVID-19.


Visão para o crescimento


Os funcionários da escola permanecem unidos para ensinar e equipar as pessoas para adorar em espírito e em verdade e, em seguida, para que esses alunos possam passar esse ensino para suas congregações e outras pessoas. "Deus tem operado", disse Whitney. Embora esse ainda seja o início da escola, sua visão e desejo de longo prazo é ver o crescimento da igreja na Albânia por meio desse treinamento de louvor.


Whitney está animada por ver as pessoas aprendendo música e percebendo o que realmente é o verdadeiro louvor — mais do que apenas cantar e tocar um instrumento. Como filhos escolhidos de Deus, Whitney sente que ela e os músicos albaneses podem realmente viver suas vidas inteiras como adoração a Deus.


Um sonho se tornou realidade, quando Whitney pôde trabalhar em conjunto com Heart Sounds na Albânia (2017) e no Kosovo (2017 e 2018), para colaborar com outros músicos, resultando na produção de um álbum de louvor albanês e um álbum infantil.


Abby Kitchener trabalhou, por dois anos e meio, no navio do OM Doulos antes de servir no sul da África por mais de seis anos. Em 2017, Abby se juntou à equipe na Albânia, onde está envolvida com vários ministérios, incluindo a área de comunicação.


Tradução por Orlando Silva

Revisado por Eunice L. Amaro

Texto original aqui.

NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org