• OM International

Mulher comum, extraordinária jornada


Por OM International

Tradução por Orlando Silva

Quando criança, Janet*percebeu algo em suas avós que ela queria para si mesma. ”As vidas delas eram a melhor tradução do que era ser cristão, que eu jamais tinha visto,” disse ela.

Janet começou a seguir Jesus a partir dos oito anos e, a partir desse momento, ela tinha duas paixões na vida: saber mais sobre Jesus e fazer com que Jesus fosse cada vez mais conhecido. “Quando você conhece o Amor, a Graça, a capacidade de perdoar, o carinho, e a gentileza, além de tudo, , quando você percebe essas características na sua própria vida você quer gentileza, e compartilhar.”

Janet teria ficado feliz apenas por compartilhar o Amor de Deus em sua velha igreja na Grã-Bretanha - isso se um grupo de pessoas da Península Arábica não tivesse aparecido para testar um equipamanento que a irmanandade da igreja dela tinha comprado. Até aquele momento ela ainda não tinha ouvido as palavras islâmico ou muculmano.”

Vários desses homens se hospedavam na pensão da irmã de Janet, uma cabeleireira para cortes simples. Janet não sabia mas aqueles encontros com os hóspedes seriam um divisor de águas na sua vida. “Deus deu-me um amor real e vontade de servir no mundo muçulmano. “ ela disse.

Esses encontros tiveram repercussão por muitos anos, depois que os homens partiram. As relações de amizade se desenvolviam por meio de telefone ou quando esses homens, eventualmente, retornavam a cidade com suas famílias, em férias. Janet começou a questionar se Deus, com efeito, queria que ela fosse para mundo muçulmano. De certo modo, o mundo islâmico estava “indo” até ela.

Duas mulheres da sua igreja viram um programa na TV no qual George Verwer aparecia. Quando elas tentaram falar com ele, descobriram que ele estaria visitando a região nas semanas seguintes. As mulheres, então, deram um jeito de Janet encontrar-se com George Verwer. Quando Janet ouviu George falar sobre o trabalho que a OM estava a fazer ela ficou agitada. “Pensei que meu coração fosse explodir”. Ela compartilhou. “Eu estava tão feliz de ouvir aquelahistoria.”

Ao partir George Verwer disse a Janet para ela procurá-lo se precisasse de alguma coisa. Mas ela não o procurou “Eu sabia que seu o procurasse eu estaria na Arábia Saudita no dia seguinte” disse ela rindo.

Pelas próximas três semanas seguintes, Janet orou para que Deus tirasse a vontade dela ir para missões, se isso não fosse a vontade Dele. No entanto, ao contrario, essa desejo só cresceu.

Começando a jornada

Sua primeira visita ao AP numa missão de curto prazo foi uma experiência desafiadora para ela. “Eu me senti meio sem saber o que fazer. “Foi um período meio complicado,” Mas os outros líderes conheciam minha história,” ela compartilhou. “ Eles sabiam o que estava acontecendo. Eu me lembro que o líder responsável por tudo disse para mim: ”Janet você ficará surpresa nessa viagem… Acho que você vai descobrir que tem tudo a ver com você .”

A equipe visitou uma vizinhança local com nove amigos. “Quando descobriram que eu era uma cabeleireira, não me deixaram partir até que eu cortasse seus cabelos,” disse Janet. Enquanto ela se enturmava com as mulheres, ela se lembrou das palavras da oração.”Deus mostrou-me que não importa quem somos; desde que estejamos disponiveis, Ele pode usar- nos.

Depois de mais algumas missões de curto prazo , Janet aprendeu sobre as oportunidades para se engajar em missões de longo prazo na AP, uma delas seria trabalhar meio período na livraria. “Assim que eu cheguei aqui eu me senti em casa.”

À medida que Janet ia conhecendo as pessoas – mulheres, estudantes, trabalhadores migrantes, profissionais e aposentados ela ia entendendo que Deus a colocava em contato com aqueles que Ele já tinha escolhido. Nós primeiros seis meses, três migrantes que conversavam com ela na livraria vieram a aceitar Cristo e foram batizados.

No início do Ramadan, daquele ano, Janet vendeu cinco Bíblias para pessoas que ela achou estarem próximas dos trinta anos, “todos estavam a procura da Verdade e percebendo que o islamismo não lhes dava o que eles queriam, ou procuravam procuraram a verdade na Biblia.”

Uma outra mulher que vinha conversando com Janet há um ano e meio, finalmente, perguntou: “Janet, como é que você tendo sido criada no islamismo e, não conhecendo nada diferente, conseguiu descobrir a Verdade?”

“Pergunte a Deus,” Janet respondeu.” Se você realmente está procurando a verdade, pergunte a Deus para conhecer a verdade, e Ele vai mostrar-lhe.”

O contato direto com as pessoas na livraria era adequado para Janet, que se achava uma pessoa introvertida. “Eu nunca fui desinibida, ou corajosa e aventureira, na verdade eu era o oposto disso. Eu diria que eu medrosa. Sentia-me muito fragilizada, “ ela disse. “Fico impresionada como Deus pode usar alguém como eu.

“É o amor Dele que nos impele a agir; é Sua compaixão que nos incentiva e motiva” O fato de que muitos aqui estão perdidos por toda a eternidade, nunca tendo ouvido falar de Jesus, isso é o que faz-me ir até o fim e fazer mais,’ ela disse.”

Mesmo aos 52 anos , vale a pena, caminhar e viver tudo isso com Ele e por Ele.”

*Nome alterado

https://www.om.org/en/news/ordinary-woman-extraordinary-journey

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilharem o conhecimento de Jesus e seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar um objetivo em mais de 110 países.


NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org