• Ava

Finais felizes


Por Ava

Tradução de Orlando Silva

Eu recentemente assisti a uma popular série de TV e, ao final, todas as tramas desenvolvidas durante aquele episódio foram resolvidas. Terminou todo mundo a se abraçar, sorrir e chorar de alegria por conta da solução dos problemas e das reconciliações.

Quando criança, eu acreditava em finais felizes porque eu queria que os contos de fadas fossem um reflexo da realidade. Enfim, eu acreditava que a vida pudesse repercutir a ficção e terminar como os filmes de Hollywood. No entanto, minha crença em finais felizes, hoje em dia, não se baseia em filmes. Ao contrário, é baseada no encantamento/felicidade que Deus nos promete ter no Seu Reino, por toda a eternidade. Há, na verdade, uma “utopia” a espera daqueles que servem ao Senhor: não haverá dor, tristeza ou conflitos de qualquer ordem. Quando morrermos, e vivermos na eternidade, será uma alegria tão intensa que nossas mentes não podem ter, nessa vida, condições de conceber esse júbilo, em toda a sua complexidade e beleza.

Ah! Sim, eu acredito em finais felizes. Essa verdade, tem sido minha esperança e tem me ajudado a lidar com as frequentes inconstâncias dessa jornada chamada vida.

Há dois meses eu voltei para casa. Depois de dois anos de engajamento com a OM. Embora eu esteja adorando conviver com minha família, e amigos, o processo de adaptação tem sido mais difícil do que eu esperava. Mesmo assim, tenho comido tudo aquilo que eu mais go