• Nicole James

Mais do que um salário


Por Nicole James

Tradução de Rodrigo Mendes

Revisão de Jéssica Ferri

"Se você olha para a Península Arábica, há [estrangeiros] cristãos que trabalham em muitas facetas em toda a região", disse Sasha*. Ela e seu marido, Craig *, OMers há muito tempo, viveram em seu país anfitrião por dez anos. Craig sempre trabalhou em tempo integral, enquanto Sasha alternou entre trabalhar e cuidar da família.

Ter empregos no mercado local permite que os trabalhadores cristãos superem os desafios de credibilidade, proporcionando-lhes uma razão legítima para estarem em seus países de acolhimento. Salários complementam (ou fornecem) receitas financeiras. Trabalhar com os locais também permite acesso a comunidades menos atingidas.

No entanto, simplesmente ganhar um cheque de pagamento de uma empresa local não é suficiente.

"Você pode trabalhar e o trabalho pode usar você. Mas se não sairmos por aí para dizer o porquê de sermos diferentes, eles nunca saberão. Nisso reside nossa intencionalidade", explicou Sasha. "A maneira como você faz suas escolhas, como você gasta seu tempo, como está orando - tudo isso é construído intencionalmente".

Os trabalhadores precisam avaliar seu ambiente de trabalho para saber o quão abertamente eles podem compartilhar no local de trabalho (alguns empregadores exigem um compromisso de não falar sobre Cristo no local de trabalho), mas frequentemente existem maneiras sutis de introduzir as verdades bíblicas.

Craig, por exemplo, publica um versículo bíblico do Livro de Provérbios no quadro de seu escritório. "Ele nunca diz nada sobre isso, mas está lá", disse Sasha. "Outros virão e comentarão sobre isso. Surgem muitas conversas espirituais."

Perguntas podem ajudar os muçulmanos locais ao longo de sua jornada para Cristo. Pergunte: "Por que você reza cinco vezes ao dia? Por que você mata uma ovelha?", Sasha sugeriu. "Se pudermos fazer com que os locais busquem e questionem o que eles acreditam, eles estarão se aproximando do encontro com a verdade".

Enquanto os trabalhadores esperam compartilhar o evangelho completo com seus colegas locais, a partilha de uma história curta ou uma ideia bíblica também vale a pena. "Eu compartilhei 1 Coríntios 13... como uma definição de amor", disse Sasha.

Um estudante universitário ao ouvir a passagem comentou: "Eu não penso, conforme essa definição, que amei alguém".

Mais tarde falando sobre o casamento, o aluno perguntou a Sasha como ela e Craig têm estado casados há tanto tempo. "É porque seguimos o exemplo de Cristo", disse Sasha. "Sabe aquela definição de amor que eu lhe contei? Essa é realmente a definição de amor que vem da Bíblia".

Durante uma temporada, Sasha e Craig não podiam falar sobre Jesus em seus empregos. Mas eles poderiam conversar fora do local de trabalho.

Por exemplo, quando uma colega precisou fazer uma cirurgia, Sasha foi ao hospital para visitar a senhora e orar por ela. Depois de alguns dias, Sasha voltou para uma nova visita. A mulher perguntou com entusiasmo: “Você se lembra de quando orou por mim no hospital?”.

“Bem, você não sabia, mas eu estava rezando com você".

Ela mencionou que quando Sasha foi visitá-la, sua família não tinha dinheiro para pagar pela cirurgia. Mas depois da visita de Sasha, as finanças se acertaram. "Ela reconheceu que foi uma resposta à oração que ela fez comigo", observou Sasha.

"Eu posso explicar porque você teve uma resposta rápida para a oração", Sasha disse a ela. "Eu orei em nome de Jesus. Nossa Bíblia diz que Ele se senta à direita de Deus, e intercede por aqueles que pedem. Sua oração junto com a minha foi diretamente para Deus".

Denis*, outro OMer que viveu no Golfo Árabe há 11 anos descobriu recentemente oportunidades interessantes para compartilhar intencionalmente com os colegas que estão mudando de emprego.

Primeiro, ele começou um grupo de oração com outros crentes em seu trabalho. Em segundo lugar, ele introduziu princípios bíblicos para sua nova equipe.

"É importante falar sobre a verdade do amor", disse Denis aos seus funcionários. Um dos homens mais tarde relatou o resultado dessa verdade: "Eu tentei e funcionou, então agora eu tomo esse [princípio] para mim!".

Denis também falou sobre a ideia de integridade. "Você acha que podemos ser uma equipe íntegra?", Perguntou ele.

"Esse é um padrão alto", responderam seus colegas locais.

Logo, um dos funcionários locais precisou apresentar uma oferta para um fornecedor. Ele queria enfeitar a oferta para torná-la mais atrativa para o fornecedor, mas Denis o desencorajou de mentir. No final, o fornecedor aceitou a proposta, "e ele apreciou nossa honestidade", disse Denis.

Em seu local de trabalho "as pessoas guardam pequenas coisas [no coração] e elas têm um grande impacto", disse Denis. "Você vê todas essas coisas que Deus está fazendo sem que [nós] percebamos isso".

*Nome alterado por segurança

Nicole James é uma viajante mundial e escritora da OM International. Ela é apaixonada pela parceria nos campos para comunicar as formas como Deus está trabalhando em todo o mundo.

Texto original.

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilhar o conhecimento de Jesus e Seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar a esperança em mais de 110 países.


NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org