Inovação em Istambul


Por Nicole James

Traduzido por Rodrigo Mendes

Revisado por Jéssica Ferri

Quando o fundador da OM, George Verwer, começou o movimento como estudante universitário aos 20 anos, ele juntou alguns amigos e 10 mil Bíblias em um carro antigo e dirigiu para o México. Aqueles que se juntam à OM hoje preenchem formulários, participam de programas de treinamento pré-campo e frequentemente cumprem requisitos rigorosos para aprender linguagem e cultura antes de serem enviados aos seus países anfitriões.

Ao invés de equipes de pioneirismo, os novos recrutas da OM agora se integram às equipes existentes, onde ganham a experiência necessária e aprendem a compartilhar Jesus com os menos alcançados. Esse método organizado oferece responsabilidade e, muitas vezes, mentoria a missionários emergentes. No entanto, deixa pouco espaço para a tomada de riscos e inovação. O que acontece quando a liderança de Deus não segue o protocolo?

Convite para inovar

No verão de 2015, na escola de criação de igrejas (CP em inglês) da OM, os amigos Max*, Kelly* e Elena* - trabalhadores em seus 20 anos - experimentaram uma mudança na metodologia de suas missões. Juntos mudaram o foco de criar apenas uma igreja e começaram a pensar a respeito de iniciar um movimento de múltiplas igrejas.