• Nicole James

Removendo a barreira do idioma


Por Nicole James

Tradução: Tayza Garcia

Nos últimos anos, a equipe da OM em Assunção, no Paraguai, procura maneiras de disponibilizar, e tornar acessíveis, informações sobre missões para os crentes locais. As noites de oração os encorajou a interceder por necessidades globais. O treinamento Exposição esclareceu aos jovens sobre possíveis oportunidades de ir para o exterior. Os dias de “portas abertas” superaram a distância entre a comunidade e a OM na região.

Através desses eventos, "sempre vimos pessoas interessadas em ir para missões, mas sempre houve essa barreira da linguagem", explicou o voluntário Markos Fehr. "Existem outras barreiras como dinheiro ou família, mas queríamos tirar essa barreira do caminho".

Para remover a barreira do idioma para possíveis missionários, Markos e a colega de OM Kelly Dominguez trabalharam em ideias para ensinar inglês na base da OM. Eles promoveram o plano na página do Facebook da OM no Paraguai e quando um punhado de pessoas responderam, eles formaram um grupo.

"No primeiro ano, foi muito informal. Acabamos de nos juntar e conversamos sobre as bandeiras [do mundo]", descreveu Markos.

No segundo ano, eles pediram livros.

Ter um plano rapidamente adicionou estrutura para a classe incipiente (um aluno se inscreveu no segundo curso de inglês). Deborah Krahn, responsável por pessoal da OM no Paraguai, também entrou como professora.

Dois estudantes participaram do ciclo seguinte: três meses de aulas de três horas nas manhãs de sábado. "Temos um bom livro. São situações da vida real que eles realmente podem aplicar depois", disse Markos. "Há a teoria, que eles tem que escrever, mas eles também trabalham na sua pronúncia e na fala".

Durante uma aula de três horas, a equipe inglesa ensinou três lições do livro para completar o material até o final do curso. "O tempo realmente voa!" Deborah se entusiasmou.

No início de 2017, o programa de inglês se expandiu de uma aula de sábado para três, com a equipe oferecendo um curso intermediário e dois cursos para iniciantes, de manhã e à tarde. Duas semanas antes do início da equipe, 11 alunos já se inscreveram.

Os participantes não se limitam aos afiliados da OM, mas "o foco principal ainda é missionário", disse Markos. Muitos estudantes que se inscreveram em 2017 aprenderam sobre a aula de inglês em uma conferência de missões multi-organizacional em todo o país.

Em dois anos, as aulas de inglês se desenvolveram significativamente, mas ainda há margem para melhorias, observou Markos. Por exemplo, uma base maior de professores significaria que a equipe poderia oferecer aulas no meio da semana, bem como aos sábados, permitindo que mais pessoas participem.

Para indivíduos que desejam ir para o exterior através do OM, mas que não falam inglês, a classe poderia fornecer o ponto de partida ideal, sugeriu Deborah. "Nós os levamos e ensinamos inglês. Eles se tornam parte da família OM no Paraguai... e então eles saem. Isso seria muito legal!"

Preparar as pessoas para as missões - através da linguagem e de outros meios - é um esforço de tempo, afirmou Markos. "Pessoalmente, sinto que há um despertar. Há muitas pessoas interessadas em missões".

Alguns dias antes, ele havia começado a conversar com um conhecido da igreja sobre as missões. "Ele estava lendo a Bíblia e disse que o verso que falava sobre sair para todas as nações realmente o tocava", disse Markos. "Agora ele vai conversar com a gente e ver se ele pode se envolver.

"Eu tive muitos desses encontros. Eu realmente vejo Deus se movendo em direção a missões nos corações dos jovens paraguaios especialmente. A cultura é uma cultura muito inclusiva no sentido de que eles podem se adaptar bem e incluir pessoas... Isso pode ajudá-los a abrir as portas ou a acomodar outras pessoas melhor quando estão em missões".

Professores de inglês acidentais

Markos e Deborah estudam em tempo integral em uma universidade próxima. Nem esperavam estar envolvidos em missões ao longo da vida.

Markos, cuja jornada com a OM começou no Uruguai, se juntou a um programa de treinamento de discipulado após o ensino médio "porque eu não sabia o que eu queria estudar". Quando a liderança pediu que ele permanecesse mais tempo, ele concordou, oferecendo trabalho em construção, interpretação e "todo tipo de coisas" na biblioteca.

Depois do Uruguai, ele voltou para o Paraguai e descobriu sua afinidade pelo inglês. "Eu nunca havia estudado formalmente inglês, acabei por aprender em filmes e músicas, e percebi que realmente gosto disso, então comecei a estudar", explicou Markos. "Mas nesse ponto, eu não tinha intenção de ser missionário".

No entanto, ao começar seus estudos, ele também experimentou profunda alegria em Deus e na leitura da Bíblia e reconheceu sua responsabilidade de participar de missões. "Agora eu vejo como eu posso usar meu título como professor de inglês em países fechados", ele observou. Como futuro professor de inglês, Markos disse que as aulas de inglês da OM foram boas práticas: "Eu me sinto mais relaxado aqui ao ensinar, além disso somos capazes de ajudar pessoas interessadas em missões".

A incursão de Deborah em missões e o ensino de inglês na base OM também foi espontânea. Após o ensino médio, "eu não queria ir pra faculdade ainda, mas não sabia o que mais fazer. Então eu decidi trabalhar um ano na OM. "No fim das contas, ela se inscreveu por dois anos no Ministério de Navios da OM, trabalhando a bordo do Logos Hope."

Eu queria servir a Deus de alguma forma e também conhecer mais culturas e países diferentes", ela explicou. "Eu não planejei que minha perspectiva iria abrir ou meu interesse em missões iria permanecer. Eu não pensei que isso me afetaria tanto, mas isso aconteceu... Meu estilo de vida vai trazer a Palavra de Deus para outras pessoas".

Depois de servir com o Ministério de Navios, ela retornou ao Paraguai e assumiu o ministério responsável por pessoal (RH) da OM por um ano antes de começar seus estudos em enfermagem. Enquanto servia na base da OM, Deborah teve que ser tradutora para uma equipe visitante do navio, que falava inglês. "Comecei a ensinar inglês aqui na OM, e encontrei uma paixão pela língua inglesa. Eu sei que vou ficar em missões ", continuou ela. "Às vezes, você não sabe o que fazer depois do ensino médio", ela refletiu. "Você decide fazer algo por Jesus e isso transforma sua vida inteira".

Texto original aqui.

A OM Brasil oferece o ESC, curso de inglês voltado para o uso em missões. Para mais informações, envie um e-mail para training.br@om.org.

O papel da OM na Igreja é mobilizar pessoas para compartilhar o conhecimento de Jesus e Seu amor com cada geração em cada nação. A OM é pioneira e lidera iniciativas para resgatar vidas, reconstruir comunidades e restaurar a esperança em mais de 110 países.


NOTÍCIAS

INSPIRE-SE

Notícias de Missões

Blog

CONTATO

(12) 3945-0047

comunicacao.br@om.org

CONTRIBUA

Online, clique aqui

Depósitos:

Banco Bradesco

Agência 0225-9 - Conta Corrente 20.311-4

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Twitter Ícone
  • Cinza ícone do YouTube

Copyright 2020. Operação Mobilização Brasil. Todos os direitos reservados. comunicao.br@om.org